HR atende por agendamento a partir de segunda-feira

Oficialmente pronto, o Hospital Regional de Piracicaba Zilda Arns foi entregue ontem pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e, a partir de segunda-feira (19), passa a realizar seus primeiros atendimentos nas áreas de otorrino e oftalmologia. De acordo com a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), gestora da unidade, o HR será referência em média complexidade cirúrgica na região, composta por 26 cidades, contratando 900 profissionais até o final de 2018.
 
Construído em uma área de 14,6 mil metros quadrados e com 138 leitos, o HR terá 84 leitos de internação, 20 de UTI adulto, 27 de cuidados mínimos e sete de Hospital-Dia. Além disso, a unidade contará com 14 especialidades, médicas e não médicas, neste ano: anestesiologia, cardiologia, cirurgia geral, clínica médica, oftalmologia, ortopedia/ traumatologia, otorrinolaringologia, além de enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia e terapia ocupacional. A expectativa é de um atendimento superior a 18 mil consultas ambulatoriais médicas e não médicas. O custeio total é de R$ 35,6 milhões, até dezembro, com recursos estaduais.
 
Em seu discurso, Alckmin reforçou a importância da abertura do 12º hospital regional pelo Estado desde 2011. “Saúde é um direito do cidadão. Nós temos o dever de prestar um bom serviço à população, desde o atendimento primário, nas UBSs, o secundário, nos ambulatórios, até o atendimento terciário, hospitalar e de mais alta complexidade.”
 
O prefeito Barjas Negri (PSDB) disse que cumpriu seu compromisso. “O sonho acabou. Em 2008, assumi o compromisso de construir. Tivemos o apoio dos vereadores e iniciamos a obra com recursos próprios. Hoje temos a Unicamp como gestora da unidade e o hospital abrindo suas portas”, disse.
 
De acordo com a Unicamp, a unidade funcionará de forma referenciada, ou seja, receberá pacientes encaminhados através do Samu, serviços de resgate e de outras unidades de saúde. “Foi uma briga regional muito forte e hoje sentimos orgulho desta conquista”, enfatizou o deputado Roberto Morais (PPS).
 
Conforme explicou Gisela Onuchic, diretora-executiva do hospital, é comum que uma unidade de referência como a de Piracicaba comece a funcionar de forma gradativa.“Muitos me perguntaram sobre a sinalização desta primeira área do hospital, do porque ela estar sem parte do mobiliário e identificação. Esta é a área de visitas e como, de inicio não serão utilizados, vamos ao longo deste mês equipando e, até final de abril, com abertura de atendimento para outras especialidades, esta área já estará finalizada e pronta para receber a população”, disse.