Idosa de 69 anos morre na UPA da Vila Rezende

Uma idosa de 69 anos morreu na manhã de ontem na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Rezende. Segundo apurou o JP, Lucídia de Lima ficou três dias internada na unidade com a suspeita de ter sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e aguardava a transferência para uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em algum hospital da cidade, o que não aconteceu e levou a senhora ao óbito.
 
Segundo os familiares, a idosa ficou internada no setor de Emergência da UPA e até conseguiu ir para um quarto na tarde de anteontem. Ela apresentava dificuldade para respirar e necessitou de ajuda de aparelhos. A família questionou o médico da unidade sobre a demora na transferência, no entanto, a equipe médica levou novamente Lucídia ao setor de emergência, onde o caso foi classificado como situação vermelha, ou seja, prioridade máxima para que a vaga em um hospital viesse mais rápido.
 
O Conselho Regional de Saúde informou que, pelas UPAs não terem equipamento para tratar situações graves, nenhum paciente deveria ficar mais de 24 horas em uma unidade de pronto atendimento. De acordo com a família, a idosa esteve na UPA Vila Rezende das 10h de sexta-feira (5) até ontem, quando veio a óbito.
 
Problemas pontuais na unidade da Vila Rezende passaram a ser comuns, bem como nas outras UPAs da cidade, conforme o JP vem noticiando há alguns meses com reclamações de vários piracicabanos que algumas vezes esperam por leitos em pé e pelos corredores das unidades. Dona Lucídia teve seu corpo trasladado para a cidade e São José dos Campos, no velório do Cemitério Morumbi, e seu sepultamento acontece hoje, às 15h, no Cemitério Colônia Paraíso.
 
Em nota, a prefeitura informou que a paciente estava há uma semana não responsiva, em uma clínica. “Depois desse período — uma semana —, os responsáveis por ela perceberam que a paciente parou de falar, andar e comer e só então chamaram o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Emergência). Na sexta-feira (5), a paciente foi levada à UPA inconsciente e desidratada. A equipe médica tomou todos os cuidados para estabilizar a paciente durante esse período, para sua transferência. A vaga foi conseguida hoje (ontem, 9) de manhã, mas ela acabou falecendo”, informou o Centro de Comunicação Social.