IGP-M de fevereiro sobe 0,07% após alta de 0,76% em janeiro, revela FGV

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) desacelerou fortemente em fevereiro, para +0,07%, após alta de 0,76% em janeiro, divulgou na manhã desta terça-feira, 27, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Essa taxa é a menor para o mês desde 2012, quando o indicador havia caído 0,06%. O resultado veio acima da mediana das estimativas, de 0,01%, calculada pelo Projeções Broadcast, mas dentro do intervalo esperado, que ia de queda de 0,17% a elevação de 0,18%.

Com isso, o indicador aumentou ligeiramente a queda em 12 meses de deflação de 0,41% no acumulado até janeiro para recuo de 0,42% em 12 meses finalizados em fevereiro. No ano, há avanço de 0,83%.

Entre os três indicadores que compõem o IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) saiu de alta de 0,91% para queda de 0,02%. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) também desacelerou de 0,56% para 0,28%, assim como o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M), que teve alívio de 0,28% para 0,14%.

IPAs

O forte alívio no IGP-M entre janeiro e fevereiro foi provocado, principalmente, pela queda de 0,02% dos preços no atacado após alta de 0,91% no primeiro mês do ano. Em 12 meses, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) acumula queda de 2,27%, mas tem alta de 0,89% em 2018.

A desaceleração no atacado foi resultado tanto da redução dos preços dos produtos agrícolas medidos pelo IPA Agropecuário (0,17% para -0,71%) quanto pela alta menor dos itens industriais mensurados pelo IPA Industrial (1,15% para 0,21%).

Todas as etapas de produção do IPA também tiveram alívio em fevereiro ante janeiro, mas os Bens Finais (0,64% para -0,71%) e as Matérias-Primas Brutas (1,08% para -0,23%) recuaram no período. Os Bens Intermediários desaceleraram de 1,05% em janeiro para 0,87% em fevereiro.