Imóvel em Piracicaba tem conta de água 110 vezes mais cara

Conta abusiva chegou quando fornecimento já estava cortado (Arquivo/JP) Conta abusiva chegou quando fornecimento já estava cortado (Arquivo/JP)

Uma corretora de seguros foi surpreendida com uma conta de água no valor de R$ 4.127,52 referente ao mês de fevereiro. Surpresa com o valor, ela contou que de outubro a janeiro, pagou pelo consumo mínimo (R$ 37,02) porque o imóvel – localizado no Bairro Alto – permanece fechado nos últimos cinco meses. Neste mês de março, outra surpresa, a fatura emitida pelo Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) é de R$ 1.612,92. Eliana da Silva Salles, disse que não procurou a autarquia para rever os valores e decidiu levar o caso diretamente ao seu advogado. “Eu trabalho fora e este imóvel eu só uso para dormir e eu me ausentei desde o mês de outubro. Eu estou acertando um trabalho em outra cidade e vou entregar esse imóvel, quando cheguei já estava cortada a água”, afirmou acrescentando que no seu escritório, no Bairro Alto, as contas erma de cerca de R$ 100 e no último mês subiu para R$ 450.

Na matéria publicada na sexta-feira pelo JP, a proprietária de um imóvel no mesmo bairro e que também estava fechado recebeu conta no valor de R$ 1.132,40.

O Semae foi procurado – via assessoria de imprensa – para comentar as diferenças nas contas e nos dois casos, não se manifestou.

Na sexta, o setor de comunicação informou que a autarquia constituiu uma equipe multidisciplinar para a avaliação dos pedidos de revisão de consumo, composta por seis pessoas, provenientes das áreas de engenharia, jurídico e financeiro.

Segundo o setor de comunicação, compete à equipe analisar os requerimentos dos usuários contestando o volume faturado de água e/ou esgoto indicado em suas faturas.

Os processos em andamento serão submetidos à análise dessa comissão. As atividades da comissão devem iniciar após publicação do ato, no Diário Oficial, que deveria ocorre ainda esta semana.

POLOS DE ATENDIMENTO

A assessoria de imprensa informou que os usuários do Semae que tenham algum questionamento da fatura, podem se dirigir aos postos de atendimento do Semae.

Localizados nos bairros Paulista (avenida Cons. Costa Pinto, 790, no Dois Córregos na rua Ayrton Senna da Silva, 190, em Santa Terezinha na rua Nagib Ismael, 104, no Poupatempo Municipal na avenida Armando de Salles Oliveira, 2056 – Centro, ou na sede do Semae na rua XV de Novembro, 2200, no Bairro. Nestes polos, o atendimento ao público é feito de segunda à sexta-feira (exceto em feriados e pontos facultativos) – das 8h às 16h.

(Beto Silva)