Instituto Mauá de Tecnologia confirma 9.66 segundos para 0-100 km/h do HB20 Nova Geração

Teste de velocidade de 0 a 100 km/h foi realizado para aferir o desempenho do HB20 Nova Geração na versão Diamond Plus 1.0L Turbo com injeção direta e câmbio automático. (Crédito: Divulgação)

O Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), por meio de sua Divisão de Motores e Veículos (DMV), um dos mais importantes laboratórios de motores e veículos do País, localizado em São Caetano do Sul (SP), realizou um teste de velocidade de 0 a 100 km/h para aferir o desempenho do HB20 Nova Geração na versão Diamond Plus 1.0l Turbo com injeção direta e câmbio automático. Com as trocas de marcha realizadas automaticamente, sem o uso das borboletas atrás do volante (Smart Shift), o resultado foi de 9.66 segundos, mais de 1 segundo abaixo do originalmente informado na ficha técnica do veículo (10.7). Com as borboletas, o cronômetro cravou 9.72 segundos.

O HB20 usado no teste foi um hatchback da nova geração do compacto da Hyundai. Lançado em setembro, o veículo conta com motor 1.0l Turbo GDI, de injeção direta de combustível e duplo comando variável de admissão e escape (Dual CVVT), com 120 cv de potência, que trabalha em conjunto com o câmbio automático de seis velocidades. Seu torque máximo de 17,5 kgf.m está disponível a partir de apenas 1.500 rpm e permanece pleno até as 3.500 rpm.

“O novo motor 1.0 turbo com injeção direta do HB20 tem uma aceleração mais rápida, aproveitando toda a força do motor já nas primeiras rotações. Como o alto torque está disponível logo, o motorista desfruta de mais desempenho e agilidade em situações cotidianas, como saídas de semáforos e ultrapassagens com mais segurança. Esses testes realizados aqui no Brasil, até mesmo por revistas especializadas, estão confirmando isso, com valores mais baixos que o originalmente aferido na Coreia”, explica Angel Martinez, vice-presidente comercial da Hyundai Motor Brasil.

O IMT (Instituto Mauá de Tecnologia), fundado 1961, é uma entidade de direito privado (sem fins lucrativos) de utilidade pública, dedicada ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica. A Divisão de Motores e Veículos (DMV) do instituto realiza os mais diversos testes e aferições para o mercado e a indústria automobilística e também conduz testes de veículos para publicações da imprensa especializada. O teste com o HB20 Diamond Plus 1.0l TGDI foi realizado com 100% de etanol como combustível, a 657 metros acima do nível do mar, com temperatura de 29,4ºC e 23% de umidade relativa do ar.

Da Redação