Inverno? Saiba que seu pet também pode sofrer com doenças típicas desta época

Nesta época são comuns os casos de alergias respiratórias e dermatológicas, pneumonia e de doenças virais. (fotos: Freepik)

Assim como os humanos, os pets também enfrentam alguns tipos de doenças típicas do frio, entre elas as alergias respiratórias, dermatológicas, as doenças virais e as ortopédicas. A veterinária Mariana Bortolazzo lista os problemas mais comuns dessa época do ano e os sintomas de cada um, já que é importante que os tutores fiquem atentos às mudanças físicas e comportamentais de seus animais logo no início da doença.

ALERGIAS

Tempo em que os donos costumam usar mais roupinhas para aquecer os pets, o inverno requer cuidados com a pelagem para que não apareçam problemas de pele.

Além da diminuição da frequência dos banhos, para evitar o acúmulo de umidade, é importante que o pelo seja escovado para evitar a formação de nós, que levam a lesões de pele comuns da umidade. As roupas devem ser lavadas, em média, uma vez por semana.

“É de grande importância que a roupa esteja completamente seca antes de ser recolocada. Nos períodos do dia que estiver mais quente, recomenda-se retirar a roupa, para que haja melhor ventilação da pele”, recomenda a veterinária.

Se perceber perda de pelo, que o animal coça ou morde constantemente uma região, vermelhidão ou pus na pele, inchaço ou descamação, procure um veterinário, pois esses são sintomas típicos da dermatite.

CINOMOSE

Essa doença viral afeta os cachorros e tem alta taxa de mortalidade. Por ser parecida com a gripe, a cinomose pode ser confundida, portanto são necessários exames mais detalhados para a formação de um diagnóstico preciso.

Os sintomas incluem secreções nos olhos e nariz, tosse, tremores e diarreia. Em casos mais graves, o pet pode chegar a ter convulsões e perda dos movimentos.

“A transmissão da doença pode acontecer de forma direta, pelo contato com secreções de cachorros já infectados, ou de forma indireta, por meio do ar contaminado que entra nas vias respiratórias ou contato com algum objeto que possui o vírus alojado. A prevenção é a vacinação, que deve ser feita anualmente”, alerta Mariana.

RINOTRAQUEITE

Outra doença que pode ser evitada com a vacinação e que afeta os gatos. A rinotraqueite causa secreção nasal e ocular, dificuldade de respirar, febre e desidratação.

É transmitida pelo contato com animais infectados, portanto também é importante desinfetar o ambiente e os utensílios do felino doente.

DOENÇAS ORTOPÉDICAS

O inverno também afeta os ossos e articulações dos animais, já que as baixas temperaturas podem causar dores, principalmente naqueles que já têm histórico prévio de problemas ortopédicos.

“Caso perceba que seu animal está relutante a andar, levantar, brincar, correr ou subir no sofá e escadas, consequentemente, ficando mais quieto, com diminuição do apetite ou dificuldade para urinar e defecar, saiba que esses podem ser sinais de dores. Em dias mais frios e úmidos, os sinais clínicos costumam piorar”, afirma a especialista.

Tomando os cuidados necessários, o frio é perfeito para o seu pet curtir um ‘filminho’ no sofá junto a você. Bom inverno!

Mariana Requena
mariana.requena@jpjornal.com.br