José Luiz Ribeiro é novo secretário de Trabalho e Renda (Semtre) de Piracicaba

Após reunião com representantes de sindicatos da cidade, Barjas Negri oficializou a saída de Evandro Evangelista da Semtre e, para seu lugar, nomeou o ex-secretário de estado do Trabalho (SERT), José Luiz Ribeiro (Crédito: Divulgação)

O prefeito Barjas Negri anunciou hoje, 12/04, o nome do sindicalista José Luiz Ribeiro para assumir a Secretaria Municipal de Trabalho e Renda (Semtre), substituindo Evandro Evangelista. O anúncio aconteceu por meio do Centro de Comunicação Social, após um encontro entre Barjas, Ribeiro, Evangelista e sindicalistas.

Segundo o prefeito, o empresário Evando Evangelista manifestou interesse em deixar o cargo, porque há choque de agendas entre o seu cargo na Semtre e sua empresa, principalmente no período noturno. Porém, o prefeito o convidou a permanecer no governo em um cargo de assessoria.

Durante a reunião, o prefeito teceu elogios ao desempenho de Evangelista à frente da Pasta por mais de dois anos, tendo obtido bons resultados na prestação de serviços aos trabalhadores, com cursos de qualificação, encaminhamento de candidatos a empregos, reforma do Camelódromo, estreitamento de ações junto ao Conespi, busca de parcerias com o setor empresarial, entre outros.

Sobre Ribeiro, Barjas destacou que, neste momento em que o País tenta sair da crise econômica e política, ele vem com grande experiência adquirida como secretário de Trabalho do Estado, cargo que ocupou por três anos na gestão do governador Geraldo Alckmin, e poderá ajudar Piracicaba na articulação de novos cursos com recursos federais, captação de vagas de emprego e outras ações.

Além disso, Barjas espera que a Semtre continue seus bons trabalhos junto aos sindicatos da cidade, mantenha as parcerias com o setor produtivo e busque aproximação com o Sistema S. Tudo para que sejam geradas mais vagas e que os trabalhadores da cidade possam retomar os seus cargos nas indústrias e no comércio.

Em 27 meses, Semtre abre 8.444 vagas de emprego

Gerar renda. Este sempre foi o principal foco de Evandro Evangelista à frente da Secretaria Municipal do Trabalho e Renda (Semtre). Consequentemente, em 27 meses, a pasta cadastrou a abertura de 8.444 vagas de emprego, registrou o crescimento de 61,5% no número de microempreendedores individuais (MEI) e foi responsável pelo aumento de 75% no número de ambulantes cadastrados.

Apenas no primeiro trimestre de 2019, o número de vagas de emprego disponibilizadas por meio do Centro de Apoio ao Trabalhar (CAT)/Semtre representa 65,1% do total registrado no ano anterior. Entre janeiro e março foram cadastrados 1.284 postos de trabalho. Em 2018 foram 3.686, índice 6,10% maior quando comparado a 2017, quando 3.474 possibilidades foram ofertadas – melhor índice desde 2014.

“Sempre defendi uma gestão municipal com foco na geração de renda, seja por meio do emprego formal ou do empreendedorismo. Por isto, abrimos as portas da Semtre para a comunidade e para os empresários. Firmamos parcerias e criamos ações, como por exemplo, a formação de uma equipe que vai até as empresas captar vagas de trabalho”, afirma Evandro. “Iniciativas que trouxeram bons resultados, já que no período mais crítico da crise econômica, em 2017, conseguimos aumentar o número de vagas cadastradas. Em 2015, por exemplo, foram ofertadas 2.839 e em 2016 foram 2.509”, acrescenta.

COMÉRCIO INFORMAL

De acordo com Evandro, nos últimos anos houve mudança no papel dos comerciantes ambulantes em Piracicaba e na geração de renda. “Por isto, em mais de dois anos foi feita a aproximação com os comerciantes de rua. Ação que resultou no crescimento de 36% no número de autorizados pela Semtre”, afirma.

Atualmente, 560 profissionais estão ativos e regulares na Secretaria. Em 2016 eram 320 ambulantes.

A boa relação com a comunidade resultou ainda no aumento do número de permissionários no camelódromo e na regularização do desempenho da atividade no bairro Vida Nova – onde 10 profissionais foram autorizados a atuar como comerciantes de rua.

“Com o intuito de trazer melhorias para o desempenho desta atividade, entregamos uma proposta de alteração da Lei Complementar nº 178/2006 que rege a atuação dos ambulantes. Isto porque a atividade mudou nos últimos anos, principalmente no que diz respeito à geração de emprego e renda. A economia informal deixou de ser renda complementar para ser a principal, ou até mesmo, a única fonte de renda”, afirma Evandro.

MEI

Também foram feitas mudanças no formato de atendimento do MEI que refletiram no aumento na procura por atendimento. Entre 2017 e 2019, foram computados 32.181 atendimentos. O índice é 61,5% maior quando comparado aos serviços prestados entre 2014 e 2016 – na ocasião, 19.922 suportes foram registrados.

“Anteriormente, a abertura de MEI era feita por meio de agendamento com avaliação no guichê. Hoje, a solicitação é online e a entrega de documentos é liberada assim que o pedido é autorizado, com tempo máximo de 10 dias”, revela.

COMUNIDADE

Desde 2017, a Semtre teve maior aproximação com a comunidade. Entre as atividades desempenhadas está o aumento no número de vagas de qualificação ofertadas pela pasta e a realização de cursos não apenas em sua sede, mas também em bairros periféricos.

Nos últimos dois anos, 4.216 pessoas foram beneficiadas com os cursos da Semtre. Entre 2013 e 2016, foram 3.009.

“Além disso, está em processo de licitação a abertura de 288 vagas para cursos de qualificação. Estes devem ser realizados ainda em 2019”, diz Evandro.

Com o objetivo de trazer bem-estar a população, a Secretaria implantou um sistema de inscrições online para cessar as filas de inscrições.

“A gestão interna da Semtre sempre foi de portas abertas, na qual estagiários, terceirizados e funcionários sempre foram ouvidos. Consequentemente, não poderia ser diferente com o cidadão que procuram nossos serviços. Trabalhamos junto aos nossos funcionários para humanizar o atendimento”, finaliza.

Da Redação