JP adere campanha para o Batalhão de Ações Especiais da Polícia

A Acipi, presidida por Luiz Carlos Furtuoso, foi a primeira a aderir a campanha (Foto: Amanda Vieira/JP) A Acipi, presidida por Luiz Carlos Furtuoso, foi a primeira a aderir a campanha (Foto: Amanda Vieira/JP)

Após a adesão da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba) e Diocese de Piracicaba, o Jornal de Piracicaba e a Revista Arraso também passam a integrar o grupo que apoia a instalação do Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia) na cidade, por meio da campanha para coleta de assinaturas encabeçada pela prefeitura de Piracicaba.

No caso do JP e Revista Arraso, serão disponibilizados a população dois pontos para coleta de assinaturas da campanha. A primeira fica no Balcão JP no centro da cidade (rua Boa Morte, 1.403) e outra na avenida Comendador Luciano Guidotti, 2.525, no Jardim Pacaembu).

A Acipi foi a primeira a aderir a campanha e, junto com o JP busca “multiplicadores” para a iniciativa, tanto no comércio, como também em condomínios, terminais, e demais interessados na causa.

O presidente da Acipi, Luiz Carlos Furtuoso disse que a proposta é conseguir o maior número de assinaturas, que deverão ser entregues ao governador João Doria (PSDB) e o secretário estadual de Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos.

A iniciativa em trazer o Baep para Piracicaba surgiu após a assinatura do decreto do governador para criação de mais quatro batalhões especiais no Estado.

São Bernardo do Campo será a sede do 6º Baep, que atenderá todos os municípios da região do Grande ABC. O 7º Baep será instalado no centro da Capital e abrangerá a área do Comando de Policiamento de Área 1 (CPA/M1). O 8º Baep será criado em Presidente Prudente e o 9º em São José do Rio Preto, atendendo todos os municípios das respectivas regiões.

BAEP

“Todos os policiais que vão atuar no Baep passarão por treinamento no Comando de Policiamento de Choque com o padrão Rota, para o patrulhamento tático, gerenciamento de crise, negociações com reféns, busca e apreensão de artefatos explosivos, patrulha em locais de risco, ações táticas especiais, controle de multidões e policiamento em manifestações”, disse Doria durante a assinatura do decreto.

De acordo com o Governo do Estado, os Baeps foram criados para combater o crime de maneira mais ostensiva no Estado. Nas unidades especializadas, as equipes atuam de forma semelhante aos padrões do policiamento de Choque. Atualmente, há cinco Baeps distribuídos em Campinas, Santos, São José dos Campos, zona Leste da Capital e Barueri. A previsão é que os quatro novos Baeps passem a funcionar em meados de abril.

Cristiani Azanha