JP constata falha na entrega de correspondências em 21 bairros

Os atrasos no serviço postal dos Correios atingem dezenas de bairros de Piracicaba. Esta semana, o Jornal de Piracicaba trouxe reportagem sobre problemas na entrega de correspondências no Parque dos Eucaliptos e, após publicação no Facebook do matutino, habitantes de 21 bairros relataram situação semelhante. A empresa reconheceu que existe sobrecarga e afirmou que a situação deve ser normalizada até o fim do mês.
 
A matéria sobre os problemas no Parque dos Eucaliptos foi publicada na edição desta quinta-feira (11). Nela, os moradores da rua Carlos Sandalo reclamaram que, há alguns meses, as cartas de responsabilidade dos Correios demoram a chegar na região. Bastaram poucos minutos após a postagem na rede social para que chegassem relatos de atrasos nos bairros Centro, Santa Terezinha, Vila Rezende, Paulista, Taquaral, Jardim Monumento, Santa Rosa, Morada do Sol, Vale do Sol, São Dimas, Terra Rica, Jardim São Luiz, Monte Rey, Jardim Brasília, Jardim Tóquio, Sol Nascente, Vila Cristina, Parque 1º de Maio, Jardim Elite, São Matheus e Campestre.
 
A artesã Marta Harder Carboni diz que a situação é recorrente em seu bairro, mas que o problema se agravou faz três meses. “Parece ser na cidade toda que isso acontece. Muitos idosos não têm acesso à internet e acabam tendo que pagar as contas com juros. É complicado para alguém que ganha um salário mínimo ter mais esse gasto”, diz a moradora do Taquaral.
Mesmo quem consegue emitir a segunda via relata transtornos causados pelos atrasos. “Temos que ficar nos deslocando para ir pagar no local, é uma loucura. Às vezes não dá tempo e acaba vencendo. Quem vai arcar com os juros?”, questiona a escriturária Elisangela Quellis, moradora da Paulista.
 
Já a autônoma Bianca Silva relata uma situação ainda mais complicada. “Aqui, na avenida Rio das Pedras, não chegam faz cinco meses. Já ligamos na agência perguntando se nossas cartas estão lá e eles não nos respondem.”
 
Em outra região da cidade, Derli Machuca questiona a responsabilidade pelos prejuízos. “Já paguei juros por contas que não chegaram em casa por culpa dos Correios, deveríamos cobrar o valor a mais deles”, desabafa a dona de casa, que mora no Jardim Monumento.
 
A líder comunitária Iraci Honda recebe reclamações quase que diariamente de quem mora da região do bairro Santa Rosa. “Muita gente pede orientação sobre o que pode fazer para não pagar as contas em atraso. É bem complicado, principalmente para quem não pode emitir segunda via ou está esperando cartões bancários ou cartas profissionais. Ficamos impotentes diante da situação.”
 
A resposta enviada à redação pela assessoria de imprensa dos Correios é semelhante a que o JP publicou na quinta-feira. Os Correios afirmam que os atrasos em Piracicaba ocorrem devido à sobrecarga de objetos postais no centralizador, onde a carga postal é tratada antes de ser encaminhada para os centros de distribuição.
 
A previsão da empresa é que a situação seja normalizada até o final deste mês. Para isso, estão sendo realizadas ações no centralizador, como a utilização de trabalhadores temporários, apoio de empregados de outras unidades, mutirões e serviço extraordinário.