Juiz recomenda levar cola com os números

Juiz sugere que eleitor leve sua cola e preste atenção aos números

O juiz da 93ª Zona Eleitoral de Piracicaba, José Fernando Seifarth de Freitas recomenda calma aos eleitores neste segundo turno das eleições majoritárias, que acontecem hoje em todo o país. O magistrado recomenda o uso de cola para evitar esquecimento e confusão na hora de registrar o voto no equipamento. Pela ordem dos candidatos na urna eletrônica, primeiro o eleitor vai digitar os dois números para governador do Estado e na sequência os outros dois números para presidente. “Se quiserem, podem levar a cola eleitoral com os números anotados para que não haja esquecimento. A Justiça tem plena confiança na urna eletrônica e os eleitores podem consultar pelo site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) informações sobre todo o sistema eletrônico de votação, em uma compilação das perguntas mais frequentes”, afirmou.

No primeiro turno, em Piracicaba 227.715 eleitores compareceram às urnas em Piracicaba (78,72%), o que resultou em 208.021 votos válidos, 91,35% do total. Já a abstenção do eleitor piracicabano na ocasião ficou em 21,28%, num total de 61.546 eleitores. A eleição resultou também em 12.260 votos nulos e outros 7.434 em branco. Neste segundo turno, a Justiça Eleitoral de Piracicaba vai contar com o mesmo contingente de pessoas para garantir o bom andamento do pleito.
Para atender ao contingente esperado de mais de 280 mil eleitores, das 8h às 17h, e garantir um pleito dentro da normalidade, a Justiça Eleitoral de Piracicaba vai contar com um grupo de, aproximadamente, 5.000 pessoas, entre mesários, equipes de apoio, segurança, funcionários dos cartórios eleitorais, promotores e seis juízes eleitorais que estarão de plantão na eleição de amanhã, que acontece das 8h às 17h.
Seifarth falou que a expectativa da Justiça Eleitoral é de que as eleições transcorram de forma tranquila. “O eleitor deve votar com consciência e comparecer ao local de votação com seu título de eleitor e documento com foto. Para ajudar, a Justiça Eleitoral disponibiliza a chamada “cola eleitoral”, que vai impedir que o eleitor se confunda ou esqueça algum número” afirmou.
¤
DOCUMENTOS — O chefe de cartório da 93ª Zona Eleitora, José Antônio Capelli, chamou a atenção do eleitor para o fato de que, além do título de eleitor é preciso apresentar um documento com foto. O Detran (Departamento Estadual de Trânsito) de São Paulo informou que é possível votar apenas com a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) — documento oficial com foto que atende aos requisitos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Para votar apenas com a CNH, sem o título, é preciso saber o local de votação. A consulta poder ser feita no portal do TSE (tse.jus.br, depois clique em eleitor serviços ao eleitor, depois título de eleitor e por fim, título e local de votação) informando o próprio nome e o da mãe, além da data de nascimento.
Vale reforçar que é necessário apresentar um documento de identidade para votar, ainda que o cidadão esteja com o título de eleitor em mãos. Outros documentos são aceitos, além da carteira de motorista, para a identificação: RG, passaporte, carteira de categoria profissional reconhecida por lei, certificado de reservista e carteira de trabalho.