Júri define obras que farão parte do 46º Salão Internacional de Humor de Piracicaba

Profissionais se reúnem neste fim de semana para analisar os trabalhos (foto: Divulgação)

Os trabalhos que vão compor a mostra competitiva do 46º Salão Internacional de Humor de Piracicaba serão definidos neste fim de semana. O júri de seleção do evento se reunirá nos dias 6 e 7 de julho, no Hotel Center Flat Service, a partir das 8h, para escolher, entre as 2.781 obras inscritas, aquelas que serão expostas no Armazém 14 do Engenho Central entre os dias 10 de agosto e 27 de outubro. O Salão é realizado pela Semactur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo) e Cedhu (Centro Nacional do Humor Gráfico).

O júri de seleção é formado por Luiz Marangoni (chargista), Francisco Galvão (produtor cultural), Eduardo Grosso (cartunista), Bete Nicastro (jornalista), Glaucia Davino (historiadora), Rosana Amorim (cartunista) e Fausto Bergocce (cartunista). Caberá a esses profissionais a tarefa de analisar as obras.

Os 2.781 trabalhos recebidos foram produzidos por 499 artistas, oriundos de 48 países. Entre obras digitais e analógicas (originais), foram inscritas 499 caricaturas, 683 cartuns, 501 charges, 287 tiras e 24 esculturas, além de 358 trabalhos para a categoria temática Imigração, 212 trabalhos para a categoria Infância Arcor e 217 para Saúde Unimed.

Em sua 46ª edição, nosso Salão de Humor continuará cumprindo o seu papel, que é o de fazer rir e de também provocar a reflexão da sociedade”, afirma a secretária da Semactur, Rosângela Camolese.

PROCESSO DE SELEÇÃO

O processo de seleção é rigoroso e democrático. O júri permanece confinado no hotel Center Flat, onde analisa todos os trabalhos, utilizando um processo curioso: no centro da sala, três cadeiras são marcadas com os títulos de céu, purgatório e inferno, para onde cada obra será colocada. Se for ruim, vai direto para o inferno. Se for mediano, fica no purgatório e pode ter uma segunda avaliação. Ganham o céu apenas as ilustrações que agrada todos ou, ao menos, a maioria.

HISTÓRIA

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba surgiu em 1974, durante a ditadura militar, como iniciativa de um grupo de jornalistas, artistas e intelectuais atuantes no cenário político. A partir do sucesso das primeiras edições e do apoio da turma do jornal carioca “O Pasquim”, importantes cartunistas brasileiros contribuíram para a transformação do Salão em um dos mais conhecidos encontros do humor gráfico no Brasil e no exterior.

A abertura oficial e anúncio dos premiados acontecem no dia 10 de agosto, no Engenho Central.

Da Redação