Kickboxing: Gustavo Piacentini disputa a Taça Paulo Zorello, em Brasília

Atleta piracicabano concorre na modalidade K1, categoria 63,5 kg. (Foto: Divulgação)

O atleta Gustavo Piacentini foi convocado para disputar neste sábado (3) a Taça Paulo Zorello de Kickboxing, evento que acontece em Brasília-DF, reúne alguns dos principais nomes do esporte no país, e que será realizado no formato de GP. O lutador piracicabano sobe ao ringue na modalidade K1, pela categoria 63,5 kg. A competição será a segunda que o atleta irá participar após o retorno no Campeonato Brasileiro, que aconteceu em junho. Piacentini garantiu que embarca para o Centro-Oeste mais preparado do que estava no torneio anterior.

“Treinei por um tempo que não considero ideal para o Brasileiro, inclusive pelo fato de estar parado. Foram menos de dois meses de preparação para uma competição oficial e de nível nacional. Fiz o melhor que pude dentro do prazo, mas a falta de ritmo pesou. De qualquer forma, foi uma ótima experiência, é diferente de apenas fazer sparring. Erros e acertos aconteceram, e trabalhamos em cima deles para as próximas competições”, afirmou o lutador, que ficou em terceiro lugar no Nacional.

Questionado sobre o que espera encontrar em Brasília, o piracicabano disse que o fato de o evento contar apenas com atletas convocados por índice técnico o motivou. “Sei que o desafio será grande e que vou enfrentar adversários de bom nível. Isso me trouxe uma vontade maior ainda de treinar e a experiência que tenho pode ajudar um pouquinho. Não vi a chave da categoria, mas tenho ideia de quem eu posso enfrentar. Dá para arquitetar algumas estratégias nos treinos”, destacou.

De volta ao circuito, o lutador irá representar a cidade pelo Centro Esportivo MR nos Jogos Abertos do Interior, em Marília, evento do qual é hexacampeão. Piacentini não garante, mas dá pistas sobre o futuro no kickboxing. “Se o retorno é esporádico ou não, é algo difícil de dizer. Em competições assim (Taça Paulo Zorello), quando a gente faz uma luta boa, geralmente aparecem propostas. Não sei dizer o futuro, mas sou muito competitivo e essa adrenalina de subir ao ringue me faz bem”, disse o atleta, que conta com o apoio da MP Suplementos.

“Nessa reta final, estou esgotando a parte física com o Zandoval (Gustavo, preparador). Na próxima semana, isso diminui. Tenho feito muito sparring de boxe com o Marcos (Ribeiro, técnico), trabalhando questões técnicas. No kickboxing, com o Jampa (Leibholz, treinador), tentamos focar nos erros observados no Brasileiro. Além deles, o Julio (Costa, treinador) e a Cristmi (Pafaro, treinadora) também estão dando uma força e abriram as portas para me ajudar. São pessoas que querem nosso bem. É mais um fator motivacional”, finalizou Piacentini.

da Redação