Lagoa do Parque da Rua do Porto sofre assoreamento

Local é espaço de lazer e esporte próximo a rio Piracicaba (Foto: Claudinho Coradini/JP)

O assoreamento da lagoa do Parque da Rua do Porto tem chamado a atenção de quem passa pelo local. Assoreamento é o acúmulo de detritos, lixo, entulho ou outros materiais no leito dos rios. No fundo dos rios e lagoas, esse processo interfere na topografia dos leitos impedindo o corpo d’ água de portar todo o volume hídrico, provocando transbordamento em épocas de grande quantidade de chuvas.

A Prefeitura de Piracicaba informou que o assoreamento na lagoa do parque é causado pelo despejo de material arenoso, que é trazido pelas chuvas, por meio das nascentes que deságuam na lagoa, e se acumula ali.

A assessoria de imprensa informou que a preocupação da prefeitura em manter o local sempre em boas condições exige que a limpeza seja feita constantemente. A última, segundo o setor, ocorreu em agosto de 2017 e a próxima está marcada para ocorrer entre julho e agosto deste ano.

A prefeitura informou que o processo de limpeza é trabalhoso e exige uma força-tarefa que envolve as secretarias municipais de Defesa do Meio Ambiente, Defesa Civil e o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto).

Para realizar a última limpeza, foi preciso transportar e estabilizar, no acesso à lagoa, dez caminhões de uma mistura de terra e cascalho, que formou uma espécie de ponte para a escavadeira seguir até o ponto de retirada. Depois, o material foi carregado nos caminhões e descartado em um local adequado. Foram mais de 50 caminhões no total, na última limpeza.

Devido a essa movimentação de máquinas pesadas, a época da estiagem é a melhor para realizar a operação de limpeza, já que causa menos danos ao solo e também à estrutura do parque no geral.

A Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente) informou que retirou galhos, troncos, tocos e também algumas árvores secas caídas na lagoa do Parque da Rua do Porto. O serviço foi realizado com o auxílio de uma máquina retroescavadeira, teve início na segunda-feira (20) e finalizado ontem.

Esse tipo de serviço, que demanda uma logística operacional especifica, é realizado periodicamente pela equipe da Sedema, mas este ano, com o registro de três episódios climáticos de grande porte, tempestades com a incidências de raios e ventos fortes, a demanda para o serviço aumentou consideravelmente na cidade toda, principalmente nas áreas verdes, inclusive no próprio Parque da Rua do Porto, conforme informou a pasta.

Beto Silva