Luiz Antônio Lopes Fagundes vai presidir 46º Salão de Humor

arte Fagundes é engenheiro civil e ex-secretário municipal de Turismo e Transportes. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

O piracicabano Luiz Antônio Lopes Fagundes vai presidir a 46ª edição do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, que acontece no próximo ano. O anúncio do nome dele para esta função aconteceu durante a cerimônia de abertura da mostra deste ano, no dia 25 de agosto, no Teatro do Engenho. Fagundes é engenheiro civil, ex-secretário municipal de Turismo (1973 a 1976) e Transportes (1982 a 1984) e um dos fundadores do Salão. Ele também é o idealizador do Parque da Rua do Porto e responsável pelo projeto dos itinerários das linhas de ônibus e dos terminais de integração.

Em entrevista ao Jornal de Piracicaba, Fagundes disse que ficou honrado com o convite. “Fui na abertura do salão e acabei surpreendido, sempre estive envolvido com o salão, desde a fundação colaborei com todas as edições. Aceitei por amor à cidade. Para mim, é uma honra”, afirmou. E acrescentou. “Ainda preciso sentar com a diretoria e analisar a questão orçamentária para decidirmos como será a edição de 2019, mas já posso adiantar que terá novidades”.

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba surgiu em 1974, em meio à ditadura militar, por meio de iniciativa de um grupo de jornalistas, artistas e intelectuais que costumavam se reunir em um bar da cidade chamado Café do Bule. A ideia inicial do grupo era inserir uma mostra de humor gráfico dentro do Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba. Alceu Marozzi Righeto, Adolpho Queiroz e Carlos Colonnese estabeleceram, então, contato com o jornal O Pasquim e apresentaram o projeto ao cartunista Jaguar, que aprovou a iniciativa. Por escrito, Jaguar autorizou a cessão de seus originais em poder da Editora Abril, que não atendeu ao pedido e a mostra não aconteceu.

Diante desta situação, Fagundes, na época Secretário Municipal de Turismo, resolveu criar o Salão de Humor de Piracicaba. Ele liderou um grupo que conseguiu convencer os editores do O Pasquim a participarem do empreendimento. Iniciou-se a partir de então a parceria entre Piracicaba e os cartunistas mais prestigiados do Brasil. No ano de 1974 foi realizado o 1º Salão de Humor de Piracicaba, com a participação de Millôr, Ziraldo, Zélio, Jaguar, Fortuna e Ciça. A partir da terceira edição, o evento foi internacionalizado.

“É muito importante perpetuar e conservar a história do Salão de Humor, que abriga um acervo importantíssimo contado através de desenhos”, falou Fagundes.

SALÃO 2018 — A exposição principal do Salão de Humor deste ano contém 427 trabalhos de 201 artistas de 30 países e está instalada no Armazém 14 do Engenho Central. A visitação é gratuita e vai até 14 de outubro. A programação completa do evento, que inclui mostras paralelas, feira de quadrinhos, lançamentos de livros, entre outras atividades, está disponível em salaointernacionaldehumor.com.br/programacao.

(Raquel Soares)