Maestro Cantoni participa do projeto Trajetórias

Com 73 anos de experiência musical, o maestro Umberto Cantoni, de 88 anos de idade, é o homenageado de hoje da terceira edição do projeto Trajetórias, no Sesc. A atividade consiste em bate-papo com personalidades piracicabanas que contribuíram ativamente para o enriquecimento cultural da cidade, seja por despertarem reflexões ou desenvolverem novos conhecimentos capazes de fomentar olhares inovadores. Na oportunidade, Cantoni conversa sobre a trajetória de vida e profissional. O evento tem início às 19h30, no teatro, e será mediado pelo jornalista Romualdo Cruz Filho.
 
 
Cantoni ficou sabendo da homenagem há 15 dias, informado por Cruz Filho. “Esse reconhecimento é muito importante para mim. Trabalhei 22 anos na Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) e com corais durante muitos anos. Tenho experiência rica. Fiquei muito feliz quando soube, por conta do trabalho local diversificado. Piracicaba é muito culta musicalmente”, disse. O encontro contará com um entrevista ao vivo, complementada por esquetes.
 
 
Antes de mudar-se para Piracicaba, em 1980, convidado pelo então reitor da Unimep, Elias Boaventura, Cantoni morava em São Paulo. Ele nasceu em 1929, em Franca (SP). Além de maestro, ele é tradutor, poeta, regente de coral e professor. Estudou órgão, piano, harmonia, composição e regência coral em São Paulo, capital, nos Estados Unidos, em Nashville, Tennesee e no Westminster Choir College, em Princeton, New Jersey. Criou, em 1980, o coral do Movimento Negro, da Universidade Metodista de Piracicaba. Em 1987, auxiliou a criação do NUC (Núcleo Universitário de Cultura) da instituição de ensino.
 
 
SERVIÇO — Trajetórias, com Umberto Cantoni. Hoje, às 19h30, no teatro do Sesc (rua Ipiranga, 155, Centro). Entrada gratuita. Informações: (19) 3437-9292.