Mantendo o “Bom Humor”

Sempre estar de bom humor não é uma tarefa fácil, apesar de acreditarmos que além dos benefícios que ele traz, é preciso acolher a verdade de que nascemos para sermos felizes, então descartarmos definitivamente o mau humor de nossas vidas, parece ser a medida mais certa a tomar. Ninguém merece sofrer maus tratos e rispidez, caras feias e emburradas, atributos que distanciam as pessoas, nem gritando, gesticulando ou agredindo com palavras (pois, se chegar à agressão física, já parte para “caso de polícia”).

Atitudes antipáticas que atestam além de tudo, grande falta de educação, ou até problemas mentais, necessário sair disso o mais rápido possível, pois o mau humor, além ser um grande “desmancha prazeres”, destrói amizades, casamentos e qualquer tipo de relacionamento. Muito melhor ser positivo e bem humorado, onde tudo está sempre bom, e, onde, com amabilidade, delicadeza e bons modos trazem aquela luz, que cancela a tristeza e a insatisfação (“enquanto existe tempo para isso”), fazendo os momentos sadios, olhando atentamente o amanhã que traz a todo instante, novos caminhos e descobrimentos benéficos, e amenizam os fardos dos ombros, diminuindo o peso que desgasta e enfraquece.

O bom humor colore onde se fixa! O bom humor é atraente e enriquecedor nos sentimentos e nos relacionamentos! O mau humor escurece, e estraga tudo! O bom humor levanta o astral. O mau humor é maléfico e desestimulador. O bom humor anima e faz crescer. O mau humor desanima e leva para baixo”! Assim como o bom humor traz benefícios e acolhimentos auspiciosos o mau humor acaba por rejeitar seus usuários, pois, não existe ninguém que aprecie ser assustado e maltratado. Então ser importante atentar para quem quiser ter uma família onde todos se sintam bem trocando idéias e diálogos amorosos, amigos, colegas de profissão, bons e sinceros companheiros no trabalho, na vizinhança ou em qualquer lugar é fundamental estar consciente de atitudes brandas, simpáticas e gentis, que engrandeçam o espírito da solidariedade e da agradabilidade onde se encontrem. Então, vindo assim, não vai contar apenas o bem que se faz ao outro, mas, reciprocamente, o próprio bem de quem professa a satisfação de conviver galhardamente entre as pessoas.

Todos os seres humanos merecem e precisam do respeito, do bom tratamento. Todos merecem e precisam de boas palavras, carinho e atenção. O problema não se refere ao caráter ou dignidade isolados, mas, ao caráter e a dignidade de quem sabe cultivar e manter a calma e a alegria em qualquer ambiente ou momento em que possa estar, para levar a quem quer que seja, independente de raça, cor ou condição social, o beneplácito do seu gesto fraterno que conforta e eleva suscetibilidades e faz crescer a racionalidade do ser humano. Afinal, o bom humor não faz mal algum e só beneficia entre os povos!

Além de tudo, o bem humorado é um excelente colaborador da paz entre os povos, e, quem faz a sua parte está contribuindo para a execução dos bons preceitos da espiritualidade e da fé da humanidade, e dos conceitos divinos para os quais todos foram criados e pelos quais iremos dar conta um dia, com toda certeza.

É escritora e ex-presidente da Academia Piracicabana de Letras.

(Maria Helena Aguiar Corazza)