Maracatu Baque Caipira: multiplicando saberes

Baque Caipira atuará nos bairros de Santa Fé 1 e Santa Teresinha (Foto: Divulgação) Baque Caipira atuará nos bairros de Santa Fé 1 e Santa Teresinha (Foto: Divulgação)

O projeto denominado Maracatu Baque Caipira: Multiplicando Saberes terá sua primeira fase executada 16 de março a 4 de maio, sempre aos sábados, às 14h30, no campo de futebol do Bairro Santa Fé 1. O programa é destinado para crianças a partir dos 10 anos e tem por objetivo realizar oficinas formativas de maracatu de forma que os participantes possam tocar, cantar e dançar o ritmo de matriz afro-brasileira.

O projeto será realizado em dois bairros da cidade, o primeiro a receber as oficinas será o bairro Santa Fé 1. Para o segundo semestre, de 6 de julho a 24 de agosto, o programa será desenvolvido em Santa Terezinha, na Praça do Corumbataí, às 12h30. A formação é gratuita aos participantes, e as inscrições serão realizadas no local.

Maicon Araki e Natália Puke são respectivamente fundador líder e coordenadora do Maracatu Baque Caipira. De acordo com eles “O Baque Caipira, por meio desse projeto propõe a multiplicar o seu processo formativo artístico/educacional nos bairros periféricos da cidade de Piracicaba, ocupando suas praças e parques, por meio de oficinas e vivências que abarcam o repertório musical e instrutivo do coletivo”

Baque Caipira é um grupo percussivo de maracatu, independente da cidade de Piracicaba/SP, cujo trabalho tem movimentado a cultura local e se constituído como um espaço formativo artístico/educacional. O grupo que se configura como um coletivo, surgiu após uma oficina de maracatu ministrada pelo músico, educador e pesquisador Maicon Araki, em meados de 2013. Ao longo desse tempo, o grupo foi se fortaleceu por meio da realização de aulas e ensaios abertos na Área de Lazer do Parque da Rua do Porto (considerado um dos pontos turísticos mais importantes de Piracicaba), se caracterizando como um grupo formativo de pessoas, de diferentes idades em busca de uma construção ativa no campo da arte/educação.

O espaço/tempo de formação do Baque Caipira, se dá em um ambiente aberto, por meio de dois vieses: aberto e acolhedor a quem se comprometer a aprender e conhecer os aspectos técnicos do maracatu e, aberto no sentido das atividades serem realizadas ao ar livre, possibilitando assim, uma educação ativa e transponível.

O Baque Caipira tem como referência o Maracatu de Baque Virado, contudo, tem desenvolvido uma linguagem própria em relação às composições rítmicas, arranjos musicais e loas, que destacam elementos da cultura afro-ameríndia e das manifestações populares da região do Vale do Rio Tietê. De forma criativa, integra-se na batida do maracatu diversas linguagens rítmicas, tais como: a música caipira, o afoxé, cururu, tambu, batuque de congo, samba, caboclinho, coco e a música instrumental brasileira.

SERVIÇO

Projeto Maracatu Baque Caipira: Multiplicando saberes- PROAC. Primeira Fase, de 16/03 a 04/05 (aos sábados), no Bairro Santa Fé 1, na rua Ipatinga, ao lado do campo de Futebol do Novo Horizonte, sempre às 14h30. Idade a partir dos 10 anos
Segunda fase de 06/07 a 24/08, em Santa Terezinha, na Praça do Corumbataí, sempre às 12h30. Idade a partir dos 10 anos.