Massa de ar frio derruba a temperatura e pode trazer chuva

Clima mais frio começa a surgir nesta quinta-feira; temperaturas podem atingir até 6ºC no sábado (6) (foto: Amanda Vieira/JP)

Após 13 dias do início de inverno, finalmente o frio deve aparecer hoje com a queda de temperaturas devido a chegada de uma frente fria vinda da região Sul do país.

Segundo o professor de Engenharia de Biossistemas da Esalq/USP do setor de Agrometeorologia, Felipe Gustavo Pilau, o período de maior frio acontece entre sábado (6) e segunda-feira (8) com termômetros marcando entre 6°C e 7°C. “Essas frentes frias são comuns nessa época do ano e são resultados de um encontro de uma massa de ar fria que sai da região polar que se choca com uma massa de ar quente e úmida que vem do Equador. Esse encontro dá origem ao Sistema Frontal que segue em direção ao continente”, explicou.

A região que será mais afetada é o Sul. O professor explica que a medida que ela avança pelo continente, a massa perde sua ‘energia’ e se mistura com o ar quente, perdendo intensidade. “Mesmo ela perdendo sua força, causa queda de temperatura até na região Norte, trazendo o que chamamos de friagem”, reforça Pilau.

De acordo com o professor, essa grande e forte massa de ar polar vai trazer para região, nebulosidade, pouca chuva e quedas de temperatura. “A expectativa é que essa frente fria dure por cinco dias, começando por hoje (ontem). As temperaturas volta a subir na terça-feira (9)”.

Segundo dados do Cpetc (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos), a temperatura nestes próximos dias pode variar com máxima de 23°C e mínima de 6°C. Em relação as chuvas, a chance é de 90% entre hoje e amanhã, com intensidade de 15mm na quinta e 20mm na sexta-feira. “Esse volume é significativo, pois, equivale mais da metade do número esperado para todo o mês de julho”, informa Pilau.

Se realmente houver chuva, conforme lembrou Pilau, a umidade do ar ficaria em um nível mais aceitável para a saúde, com redução da presença de particuladas de poeira no ar que acarretam diversas doenças respiratórias.

Pilau ressalta que o inverno para nossa região está dentro da normalidade, “com baixo nível de chuva, ar seco e ondas de frio”.

Letícia Azevedo
[email protected]