Membro do Movimento Direita e diretor do Sindicato dos Trabalhadores discutem na Câmara

Fato foi resolvido no momento da confusão (Foto: Divulgação)

O uso da Tribuna Popular na Câmara de Vereadores de Piracicaba acabou em tumulto na sessão da última quinta-feira. O membro do MDP (Movimento Direita Piracicaba) Fabrício Polezzi, falava sobre o governo Jair Bolsonaro quando teve início a confusão.

No vídeo divulgado elas redes sociais é possível ver quando o diretor do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Piracicaba, São Pedro e Região, José Osmir Bertazzoni, ergue os braços e fala em direção ao orador. Quando o sindicalista se levanta do assento, um homem que está na poltrona de trás o segura pelos ombros e o faz sentar-se novamente

Nesse momento, outro sindicalista inicia uma discussão com membros do MDP. Apesar de os pedidos de calma e de ordem do presidente Gilmar Rotta, os ânimos se mantiveram acirrados e a discussão foi para o saguão, onde guardas civis tentaram manter a ordem.

Em nota divulgada no Facebook, o MDB informa que “os sindicalistas ali presentes começaram a intervir, desrespeitando os regulamentos da Casa, no discurso do nosso integrante, com gritos de interrupções e depois se levantando agressivamente tentando intimidar quem estava na tribuna. Um de nossos membros conteve um dos sindicalistas que se levantaram (sic). Sua atitude antidemocrática foi contida, momento em que nosso integrante foi agredido por sindicalistas”, traz o post.

Já o sindicalista disse que apenas reclamou pelo fato de o orador dizer que a população apoia a Reforma da Previdência. “Eu apenas disse que eu não apoiava e nesse momento fui empurrado pela pessoa que estava atrás de mim”, contou. Bertazzoni disse que fez uma cirurgia na coluna recentemente e que sofreu lesão ao ser empurrado pelo homem, que segundo ele já foi identificado. O sindicalista disse que vai registrar um Boletim de Ocorrência por agressão.

Por meio da assessoria de imprensa, a Câmara informou que o fato foi resolvido no momento. Segundo a Casa, “o conflito aconteceu de forma unilateral entre o cidadão que ocupou a Tribuna e o presente na galeria”.

Beto Silva