Mesa Redonda vai discutir a violência contra a mulher

projeto Coletiva de imprensa para apresentação do evento. ( Foto: Claudinho Corradini/JP)

O Projeto Heroica e a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), por meio da Comissão Social da entidade, promovem, no próximo dia 10, a mesa redonda Cenário e Experiências no Combate à Violência contra a Mulher, que será realizada no Salão Nobre da Ordem (avenida Independência, 3347), a partir das 19h. O evento é aberto ao público.

Na data é celebrado o Dia Nacional de Luta Contra a Violência à Mulher. No dia 10 de outubro de 1980, mulheres reuniram-se nas escadarias do Teatro Municipal de São Paulo para protestar contra o aumento nos crimes contra mulheres em todo o país.

O objetivo do evento de Piracicaba é sensibilizar os presentes sobre a importância do engajamento de toda sociedade na defesa e combate à violência contra a mulher, por meio da exposição de dados e experiências no enfrentamento do tema.

Simone Seghese de Toledo, presidente da Comissão Social da OAB Piracicaba, e Elen Sicolin Contro, coordenadora do Núcleo de Psicologia do Projeto Heroica convidaram a imprensa para uma coletiva sobre o evento ontem. Elas estavam acompanhadas pelo presidente da OAB Piracicaba, Jefferson Goulart.

Simone disse ter entrado em contato com as polícias e com o Judiciário e pretende coletar os dados a respeito da vioolência contra a mulher em Piracicaba para apresentar no dia do evento.
“Acompanhamos pelos jornais que o número de casos desse tipo de ocorrência é grande e sociedade como um todo precisa para entender melhor o que é isso [violência contra as mulheres] e informa-se sobre como combater”, afirmou o presidente da OAB local.

Participarão Edilene Nicolau, advogada e diretora do Núcleo de Empreendedorismo e Florescimento Profissional; Simone Seghese de Toledo, presidente da Comissão Social da OAB; Antônio Luís Tuckmantel, diretor do Deinter-9 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior); Erika Christina Tank Moya, vereadora da cidade de Limeira – idealizadora da implementação do equipamento de proteção conhecido como ‘botão do pânico‘ e Maria Christina Marton Seifarth de Freitas, promotora de Justiça de Piracicaba / Promotora de Saúde Pública e Inclusão Social.

(Rodrigo Guadagnim)