Ministro da Cultura inaugura reforma das fachadas do Palácio Capanema

Ministro da Cultura inaugura reforma das fachadas do Palácio Capanema
Fonte: Agência Brasil

Uma das obras arquitetônicas mais importantes do Brasil está de cara nova. O Palácio Gustavo Capanema, joia da arquitetura modernista, ganhou, nesta quinta-feira (20), fachadas totalmente restauradas. A obra foi entregue pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e pela presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa.

Sá Leitão destacou a importância da entrega das fachadas e anunciou que ainda este ano serão licitadas as obras da próxima fase, quando será restaurado todo o interior do prédio.

“O palácio é um dos mais importantes monumentos modernistas no mundo. É o primeiro edifício que realiza plenamente todas convenções e características do modernismo. É importante que a gente consiga avançar nesta obra de restauro pleno. É um dia histórico. O Rio de Janeiro vai ganhar um novo centro cultural. A ideia é que o Capanema não seja apenas uma sede administrativa, mas que ele possa realmente servir à população e ser ocupado plenamente”, disse Sá Leitão.

Construído em 1946, o edifício foi resultado da participação de ícones da arquitetura brasileira e mundial, como Lucio Costa, Oscar Niemeyer, Affonso Eduardo Reidy, Carlos Leão, Ernany de Vasconcelos e Jorge Machado Moreira, com a consultoria de Le Corbusier, considerado o mais importante nome da arquitetura modernista mundial. Pela primeira vez no Brasil, um edifício reuniu as principais características da arquitetura moderna, com o uso de pilotis, planta livre, terraço-jardim, fachada livre e janelas em fita.

Também participaram do projeto Burle Marx, Cândido Portinari, Bruno Giorgi, Adriana Janacópulus, Celso Antônio e Jacques Lipchitz, responsáveis pelas artes integradas, com pinturas, esculturas e paisagismo do Palácio Gustavo Capanema, idealizado para sediar o Ministério da Educação e Saúde do governo de Getúlio Vargas.

A presidente do Iphan destacou a complexidade da obra, pois o prédio é tombado, e anunciou que já foi publicado no Diário Oficial da União o lançamento do edital de licitação para a próxima fase das obras.

“Este é um dos prédios mais icônicos do mundo. Inclusive está na lista indicativa a patrimônio mundial. Para nós, do Iphan, é um passo importante, porque foi muito difícil a contratação do projeto, que é complexo e delicadíssimo. É um restauro do edifício e das obras de artes integradas nele. E hoje o Iphan publicou no DO o edital de licitação para a segunda etapa, com recursos na ordem de R$ 80 milhões. Conseguimos recursos, apesar do momento difícil da economia”, comemorou Kátia Bogéa.

Próxima etapa

Segundo informações do Ministério da Cultura, a restauração completa das fachadas custou R$ 29 milhões e faz parte das obras realizadas no local desde 2014 e que já consumiram R$ 42 milhões. Depois da restauração completa das fachadas, a segunda etapa das obras, previstas para durarem 30 meses, prevê a restauração, conservação e modernização da parte interna do edifício, englobando infraestrutura, sistema de detecção e combate a incêndio, sistema de ar condicionado, modernização dos auditórios, conservação dos jardins do térreo e restauração de todo o mobiliário de madeira e dos painéis de azulejos de Portinari.

Para o arquiteto Affonso Accorsio, que era estudante universitário quando o Capanema festava sendo construído, o prédio possui uma importância ímpar para a arquitetura brasileira e mundial.

“Na época, nós estávamos em um debate de quem deveria estabelecer o projeto do prédio, entre o conceito anterior de arquitetura e o inovador, que vinha crescendo na Europa. Isto significou a afirmação de um movimento liderado por um plantel de arquitetos, como Lúcio Costa, Oscar Niemeyer, Ernani Vasconcelos, de reafirmação do movimento”, afirmou.

De acordo com Accorsio, o Brasil foi um dos primeiros países a reconhecer a importância da arquitetura modernista. “O Capanema foi um dos símbolos do pensamento novo e renovador da proposta arquitetônica e urbana”, lembrou, dizendo que todas as gerações seguintes de arquitetos foram influenciados pelo modernismo retratado no Capanema.

Durante a solenidade, também foi assinado documento de cessão de uso do prédio para a realização do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, que será realizado no Rio, em 2020, reunido cerca de 15 mil arquitetos de diversos países.

Ministro da Cultura inaugura reforma das fachadas do Palácio Capanema