Ministro israelense diz que ataque aéreo foi mensagem clara ao Irã

O ministro israelense de Inteligência, Yisrael Katz, afirmou neste domingo
que, ao atacar os principais redutos iranianos na Síria, seu país enviou uma mensagem clara para o Irã de que não tolerará uma força militar iraniana em sua porta e agirá de forma decisiva para responder outras provocações.

A onda de ataques aéreos veio depois que Israel interceptou um drone iraniano que entrou em seu espaço aéreo e um F-16 israelense foi derrubado em seu retorno da Síria, no sábado. Foi o mais sério ataque de Israel em seus arredores desde que começou a guerra na Síria, em 2011.

Os militares disseram ter destruído o local de lançamento de drones iraniano, juntamente com outras quatro posições iranianas e oito localidades sírias, incluindo o principal comando militar do país e bunker de controle.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que monitora a guerra na Síria por meio de uma rede de ativistas na região, disse neste domingo que pelo menos seis tropas sírias e de aliados sírios foram mortos nos ataques aéreos.

“Eles, e nós, sabemos que o atingimos e levará algum tempo para eles digerirem, entenderem e se perguntarem como Israel sabia como atingir esses locais”, disse Katz à Rádio do Exército israelense. “Estes eram locais ocultos e temos agência de inteligência e a capacidade de saber tudo o que está acontecendo lá, e ontem provamos isso.”

Nos ataques de sábado, os jatos israelenses sofreram pesados fogo antiaéreo e os pilotos de um dos F-16 teve de ejetar antes que o avião caísse, no norte de Israel. Um piloto ficou seriamente ferido e o outro apresentou escoriações. Israel não confirma se sua aeronave foi realmente derrubada pelo inimigo, o que marcaria a primeira desse tipo para Israel desde 1982, durante a primeira da guerra do Líbano.

Israel emitiu recentemente várias advertências severas sobre o aumento da presença iraniana nas suas fronteiras com a Síria e o Líbano, o que o país atribuiu à crescente confiança do Irã após os sucessos do presidente sírio, Bashar Assad, na guerra civil, graças ao apoio dos principais aliados da Rússia e do Irã.

Israel teme que o Irã possa usar o território sírio para atacar ou criar uma corredor terrestre do Irã para o Líbano, que poderia permitir a transferência de armas mais facilmente ao Hezbollah – grupo libanês militante xiita apoiado pelo Irã que jurou a destruição de Israel.
Fonte: Associated Press