Mirante informou que soube do vazamento de esgoto pelo JP

De acordo com o diretor da Associação dos Moradores do Bairro Água Branca, Vicente Souza Duarte, há dez dias os estudantes reclamavam do mau cheiro durante as aulas e a diretora havia comunicado o Semae sobre o problema. (foto: Amanda Vieira/JP)

A concessionária Mirante – empresa responsável pelo tratamento do esgoto em Piracicaba – informou ontem que não foi informada pelo Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) sobre o vazamento de esgoto próximo à escola estadual Profº Dionetti Callegaro Miori, na rua Dr. Elias Rosenthal, no bairro Água Branca.

O vazamento, que segundo reclamações durava dez dias, foi noticiado ontem pelo Jornal de Piracicaba. Em nota, a assessoria de imprensa da concessionária informou que “não foi localizada nenhuma ordem de serviço via Central de Atendimento do Semae, portanto, só teve ciência do caso após a solicitação encaminhada por este veículo de comunicação”. A empresa informou que em caráter de urgência, uma equipe técnica foi designada ao local na tarde de anteontem, para identificar a procedência do extravasamento. Durante a vistoria foi verificado que a obstrução foi causada pelo descarte irregular de gordura na rede coletora de esgoto, o que configura mal uso do sistema de esgotamento sanitário.

Para solucionar o problema a equipe realizou os procedimentos de desobstrução que eliminaram imediatamente o vazamento, informou a concessionária.

De acordo com o diretor da Associação dos Moradores do Bairro Água Branca, Vicente Souza Duarte, há dez dias os estudantes reclamavam do mau cheiro durante as aulas e a diretora havia comunicado o Semae sobre o problema.