Mondelez dispensa até 160 funcionários no dia 16

Até 160 funcionários da linha 7 da multinacional americana Mondelez Internacional, fabricante dos biscoitos Nabisco, serão demitidos no dia 16 de abril. Este será o primeiro grupo a ser dispensado pela empresa, que está em fase de transição para fechamento da unidade na avenida Cássio Paschoal Padovani, no Jardim Morumbi, em Piracicaba. Em maio ocorrerá o fechamento da linha 8 e, até agosto, da linha 9. A planta fabril funciona há 30 anos no município.
 
As informações são do presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação, Fânio Luis Gomes. Segundo a empresa, 600 trabalhadores serão desligados e, segundo o sindicato, serão 725, entre diretos e indiretos. Segundo Fânio, os funcionários trabalharão até o próximo dia 13 e serão desligados no dia 16, segunda-feira. As linhas 7 e 9 fabricam Club Social e Trakinas. A 8 fabrica apenas Trakinas. A informação é do diretor de Comunicação do sindicato, Adney Araújo.
 
Esta foi a informação passada pela empresa ao sindicato anteontem. A empresa não informou o total de demissões em cada etapa. O presidente disse que a Mondelez não quis informar o número exato de dispensados, mas deve ficar abaixo de 160 na primeira etapa, segundo Fânio. Provavelmente no dia 14 de maio serão demitidos os funcionários da linha 8. Até o final de agosto, será desativada a linha 9, para encerramento das atividades.
 
A empresa ofereceu uma série de benefícios pelos próximos seis meses para fechar a planta. O sindicato negociou pagamento de cesta básica, plano médico e seguro de vida, além das rescisões trabalhistas. Segundo Fânio, a empresa faz inscrições de pessoas interessadas em participar de cursos de requalificação, agencia aqueles que querem ingressar em outra empresa do setor e também fez convites aos interessados em trabalhar na fábrica em Recife.
 
A Mondelez passa por processo de reestruturação mundial. A decisão estratégica de negócios é para concentrar a produção em Curitiba (Paraná) e Vitória de Santo Antão (Pernambuco), que operam no modelo multicategoria. Ao todo, serão dispensados 1.400 funcionários — 600 em Piracicaba e 800 em Bauru. Gomas e balas, chocolates, bebidas em pó, sobremesas e cream cheese serão produzidos em Curitiba, e biscoitos e chocolates em Vitória de Santo Antão. A empresa foi contatada, mas não informou o número de demitidos nem os prazos. 
 
 
GOVERNADOR — Tão logo foi veiculada a notícia do fechamento da fábrica, em 1º de março, o secretário estadual do Trabalho, José Luiz Ribeiro, se reuniu com a empresa, com o sindicato e com o prefeito Barjas Negri. No encontro ficou combinado agendamento de audiência com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), para tentar impedir o fechamento da fábrica. A Sert informou, em nota, que não tem informações sobre a audiência.