Monitor do PIB aponta queda de 0,3% em janeiro ante dezembro, diz FGV

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro recuou 0,3% em janeiro de 2018 em relação a dezembro de 2017, estima o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), por meio do Monitor do PIB. A FGV pondera, porém, que a economia continua apontando crescimento nas demais comparações. No trimestre móvel encerrado em janeiro, o Monitor do PIB registrou crescimento de 0,9% ante o trimestre móvel terminado em outubro de 2017.

“A economia continua apresentando crescimento. Todos os indicadores em janeiro apresentam taxas superiores àquelas observadas em 2017. Mesmo na série dessazonalizada, a economia apresenta crescimento, quando a comparação é trimestral.

Nesta comparação todos os componentes do PIB pelo lado da oferta (excetuando extrativa, serviços de informação e intermediação financeira) apresentam crescimento; pela ótica da demanda todos os componentes são positivos (à exceção de exportações). Quando a comparação é feita na série mensal dessazonalizada, a economia apresenta retração de 0,3%, na comparação de janeiro com dezembro de 2017, mas não chega a soar como um sinal de alarme”, avaliou Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV, em nota oficial.

O indicador antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial das Contas Nacionais.

No trimestre móvel encerrado em janeiro, o PIB cresceu 2,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Os destaques foram os desempenhos da agropecuária (8,2%), indústria de transformação (6,1%), comércio (4,6%) e transporte (2,9%). Na agropecuária, o resultado foi puxado pelo salto de 26% na pecuária, enquanto a agricultura teve queda de 1,9%. Além dessas atividades, os impostos também contribuíram positivamente para o crescimento do PIB no trimestre, com avanço de 3,3%.

O consumo das famílias apresentou crescimento de 2,7% no trimestre móvel terminado em janeiro, na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) teve elevação de 4,4% no período, puxada pelo componente máquinas e equipamentos, que cresceu 15,5% no trimestre. O componente construção apresentou retração de 1,6%.

As exportações apresentaram crescimento de 1,9% no trimestre móvel até janeiro, e as importações subiram 7,6%.

Em termos monetários, o PIB totalizou aproximadamente R$ 546,9 bilhões em valores correntes em janeiro. A taxa de investimento, a preços constantes, foi de 17,7% em janeiro de 2018.