Moradores do Santa Teresinha reclamam de morcegos

Em 2019 já são três casos de morcegos com raiva na cidade (Arquivo/JP) Em 2019 já são três casos de morcegos com raiva na cidade (Arquivo/JP)

A aposentada Lucilei Maria de Lázaro Subitoni de Almeida reclama da falta de atenção do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) à sua reclamação sobre a presença de morcegos em sua casa, no distrito de Santa Teresinha. Ela contou que fez um protocolo há um ano no SI)-156 (Serviço de Informação à População) em no dia 23 de março do ano passado e nunca recebeu a visita de agentes do centro de controle.

A mulher disse que entrou em contato novamente ontem com o serviço e registrou um novo protocolo e também telefonou para o CCZ. “Eu fiquei irritada, me disseram que não podem fazer nada. Se eles não podem fazer, quem poderá?”, questionou.

A moradora disse que não tem condições de subir até o forro da casa pois reside em um sobrado. “Nem eu nem meu filho temos condições de subir e ver como está a situação”, lamentou. Ela disse que foi alertada por um vizinho que viu os morcegos entrando no forro da residência.

“Ouço barulhos durante a noite e encontrei um morcego na minha dispensa na semana passada”, contou.

A assessoria de imprensa da Secretaria de saúde informou que agentes do CCZ vão ao local para avaliar a situação e orientar a moradora.

RAIVA

De acordo com a Secretaria de Saúde, neste ano foram capturados três morcegos com raiva em Piracicaba. O primeiro caso, divulgado no dia 25 de janeiro, o animal foi capturado no bairro Glebas Califórnia. O segundo, no Dois Córregos e o terceiro no São Dimas, em março. Em 2018 foram capturados 11 morcegos com raiva na cidade.

A assessoria da pasta informou que como são animais silvestres, os morcegos não podem ser exterminados, quem matar um animal comete crime ambiental com pena que pode chegar a um ano de detenção mais multa. Informações podem ser obtidas pelos telefones 3427-2721 e 3427-2400.

Beto Silva