Moradores reclamam de interdição de estrada vicinal em São Pedro

morador Interdição de vicinal mudou rotina de moradores. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

As obras de pavimentação da estrada vicinal “Angelo Zaguetti”, que liga as cidades de São Pedro e Torrinha, estão causando transtornos aos moradores e proprietários de sítios e chácaras da região. Desde o início dos trabalhos, em julho, o acesso à estrada pela rodovia SPR-040 foi fechado obrigando os usuários a buscarem rotas alternativas. Nos dias de chuva, a viagem para São Pedro aumenta em 15 quilômetros e inclui estradas de terra e trechos em canaviais. A paralisação das obras há 15 dias também é outro problema apontado pelos moradores. A Prefeitura de São Pedro informou que, no início das obras, apontou desvios à população e que os serviços foram suspensos devido às chuvas dos últimos dias. Já o DER (Departamento de Estradas e Rodagens) informou que o convênio com o município prevê o repasse de verba, sendo que a prefeitura fica responsável pela contratação, programação, execução e supervisão das obras.

Vilson Pires dos Santos possui uma chácara na vicinal e contou que foi pego de surpresa com o fechamento da estrada. Ele entender a necessidade e a importância das obras, mas reclama da falta de comunicação sobre as mudanças. “No primeiro dia de obras passei aqui para ir a Piracicaba com a minha esposa, mais tarde, quando voltamos, fui surpreendido com a estrada interditada. Se a minha mãe não morasse em São Pedro, teria que dormir num hotel, porque não tinha como acessar a estrada”, reclamou.

Santos disse que, antes das obras, a estrada recebia cascalhamento e permanecia segura apesar das chuvas, hoje – segundo ele – a via fica totalmente intransitável, com vários carros presos nos atoleiros. “Além disso, o acesso para São Pedro só é possível por desvios que aumentam o percurso em 15 quilômetros em trechos perigosos”, completou.

IMPROVISO — Desde o fechamento da vicinal, os moradores passaram a utilizar um trecho pertencente a um sítio às margens da SPR-040. Segundo os usuários, o proprietário do sítio permitiu a passagem por uns dias e depois fechou o acesso, porém, algumas pessoas voltaram a abrir e utilizar a área particular. A serviços gerais Rosicleia de Oliveira trabalha no sítio e disse que com a abertura da cerca, o gado sai da propriedade e invade a rodovia. “Meu filho e marido têm de pegar os cavalos e trazê-los (os bois) para dentro é muito perigoso”, contou.

Obras foram suspensas por causa da chuva

A obra da vicinal está orçada em R$ 12,4 mi com um ano para ser concluída. Por licitação, a prefeitura contratou a empresa e informou que, com as chuvas, o solo não tem aderência para continuidade das obras, dependendo que a via esteja adequada para a retomada dos trabalhos. Em setembro, a prefeitura disse que houve necessidade do fechamento parcial, em trechos da via, e ofereceu desvios de trânsito além da “compreensão” dos moradores.

(Beto Silva)