Moradores temem que ônibus tombem devido a buracos próximos ao Terminal São Jorge

Buracos começam desde a entrada de acesso e seguem até atrás do terminal (Foto: Rafael Henrique da Silva)

Buracos presentes na alça de acesso ao Terminal São Jorge, no bairro de mesmo nome, têm causado transtornos aos munícipes. Moradores reclamam que o problema é antigo. Eles temem que os ônibus tombem e causem acidentes.

O vereador Aldisa Marques, o Paraná (PPS), já havia encaminhado a indicação 1.926/2018, em julho do ano passado, para que o Executivo fizesse a manutenção, porém, sem o conserto, o parlamentar compareceu novamente ao local, na segunda-feira (6), para reivindicar melhorias.

Os buracos começam desde a entrada de acesso e seguem até atrás do terminal. De acordo com o parlamentar, nada foi feito, por isso é preciso fiscalizar. “Nós já encaminhamos essa indicação, mas até agora nada, e os buracos continuam. Não era para estar assim”, ressaltou.

Para Benedita Clemente, que sempre utiliza o terminal para ir à casa de sua mãe, os buracos indicam uma situação de acidente. “Já pensou se esse ônibus tomba? Eu já tenho problema nas pernas e sempre preciso de ajuda para descer. Imagina se o ônibus está lotado e alguma coisa dessa acontece?”, disse.

Paraná também visitou a área no terminal que foi sugerida para plantio de árvores pelos moradores. A indicação para a realização da obra é a de número 1364/2019, encaminhada no último dia 24 de abril. “Estamos aguardando respostas do Executivo”, disse.

PAVIMENTAÇÃO

Ainda na segunda-feira (6), Paraná esteve na rua Joaquim Leite de Campos Pereira, esquina com a avenida Rio das Pedras, no bairro Água Branca. Neste local, a reivindicação dos munícipes era para colocação de asfalto e pavimentação na rua, que segundo eles, tem um fluxo grande e há muita poeira.

Segundo o parlamentar, com a construção de uma nova igreja, o fluxo na rua irá aumentar, o que torna a pavimentação mais que necessária. “Os fiéis irão passar por aqui, então, com o asfalto, seria muito mais fácil o tráfego”, ressaltou.

De acordo com Josias Ferreira, que mora no local há 25 anos, na rua já tem a coleta do esgoto, só falta o sistema de água pluvial, mas, sem asfalto fica muito complicado em relação ao pó.

“Nós já encaminhamos os documentos para o Executivo e, agora, iremos aguardar repostas”, disse Paraná.