Moro manda prender Lula após STF negar habeas corpus

O juiz federal Sérgio Moro determinou ontem à tarde a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), após ser negado habeas corpus pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por 7 a 6. Lula terá até às 17h de hoje para se apresentar à Polícia Federal. Até o fechamento desta edição, Lula estava reunido com a cúpula do partido no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. O ex-presidente não poderá ser algemado e terá direito a cela especial. Cabe recurso, mas não pode evitar a prisão. 
 
A prisão foi determinada após a decisão do STF, que negou anteontem um habeas corpus protocolado pela defesa para mudar o entendimento firmado pela Corte em 2016, quando foi autorizada a prisão após o fim dos recursos naquela instância.
 
“Relativamente ao condenado e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, concedo-lhe, em atenção à dignidade do cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17h do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão”, decidiu Moro. O juiz federal também determinou que a Polícia Federal não use algemas em “qualquer hipótese”. Além disso, Lula terá direito a cela especial. 
 
O ex-presidente foi condenado em segunda instância no caso do triplex em Guarujá (SP) no dia 24 de janeiro deste ano. Na ocasião, a 8ª Turma do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) aumentou a pena para 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro – com início em regime fechado. No julgamento no TRF-4, os três desembargadores entenderam que há provas de que Lula recebeu propina da construtora OAS por meio da entrega do triplex e reformas no imóvel.
 
Foi previamente preparada uma sala reservada, na Superintendência da Polícia Federal, para o início do cumprimento da pena, e na qual o ex-presidente ficará separado dos demais presos, sem qualquer risco para a integridade moral ou física. (com Agência Brasil)