Morre grávida que teve 60% do corpo incendiado

A grávida de nove semanas que ficou com 60% do corpo queimado morreu anteontem na Unidade de Queimados da Santa Casa de Limeira. Ela estava internada naquela unidade desde o dia 23 de janeiro deste ano. A vítima, de 27 anos, dormia com o marido, o desempregado Anderson Aparecido Ventura, 27, em uma casa na Avenida José Micheletti, no Centro, quando alguém teria ateado fogo na cama das vítimas. Um vizinho ouviu os gritos e chutou a porta de entrada para que o casal pudesse sair. Segundo a Polícia Militar, o homem teve cerca de 90% do corpo atingido pelo fogo, mas não resistiu e morreu dois dias depois do ocorrido.
 
Um vizinho das vítimas que pediu para ter a identidade preservada disse que o cheiro de fumaça estava muito forte e por instantes pensou que a casa dele também estava pegando fogo. “Quando percebi que o incêndio era na casa ao lado eu corri para lá. Percebi que a parede ao lado externo da casa estava encharcada com algum produto e também tinha fogo na porta de entrada. Naquela hora consegui apenas chutar a porta, pulou o fogo e abri espaço para que o casal pudesse sair”, comentou. “Foi uma cena horrível, o fogo já tinha destruído as roupas das vítimas. Elas gritavam bastante”, comentou o vizinho, que preferiu ter a identidade preservada.
 
As vítimas foram socorridas pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e bombeiros. Na ocasião, o homem foi levado para o Hospital Fornecedores de Cana, enquanto que a mulher foi encaminhada para o Hospital Santa Casa até ser encaminhada para a unidade de Limeira.
 
Segundo a PM, o casal não residia na casa, pois o imóvel foi alugado por outra pessoa. “O locatário da residência afirmou que conhecia o homem e a mulher da rua e que teria autorizado que ambos pernoitassem na residência”, comentou o soldado Floriano, que atendeu a ocorrência junto com a policial Liliane.
 
As causas do acidente e os respectivos envolvidos estão sendo investigados pelos policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais).