Mortes em acidentes de moto cresceram em 2018

Em 2017 foram 19 acidentes fatais para 23 óbitos em 2018 (Foto: Amanda Vieira/JP) Em 2017 foram 19 acidentes fatais para 23 óbitos em 2018 (Foto: Amanda Vieira/JP)

A maioria das mortes registradas no trânsito de Piracicaba em 2018 envolveu motocicletas. De acordo com os dados do Infosiga – Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, foram 23 acidentes fatais causados pelo veículo. Já em 2017, os óbitos no trânsito provocados por motos totalizaram 19.

Apesar do comparativo apontar um número maior de mortes nessa modalidade no último ano, houve uma redução no total de mortes no trânsito de um ano para outro em Piracicaba. Os dados do Infosiga apontam que em 2017 foram registradas 61 mortes nas vias urbanas da cidade ante as 49 ocorrências em 2018. Nos dois anos, a faixa etária das vítimas ficou entre 18 e 24 anos.

Piracicaba foi destaque no Fórum Paulista de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana, que teve sua 70ª reunião realizada nesta semana, em Marília. O secretário de Trânsito e Transportes, Jorge Akira, foi convidado a expor sobre a queda de 91,7% no número de mor tes de pedestres no trânsito na cidade em 2018, segundo levantamento o Infosiga.

Akira falou sobre a queda no número de mortes no trânsito em Piracicaba, em 2018, comparado com 2017. Os dados mostraram que houve uma morte em 2018 contra 12 em 2017, por atropelamento, nas vias urbanas. “Apresentamos números positivos e explicamos como chegamos a eles, com ações, como a celebração de convênio com o Detran (Departamento de Trânsito) para melhorias viárias, com recursos de multas, outros investimentos em melhorias viárias e implantação de corredores preferenciais de ônibus, entre outras”, afirmou. “Também falamos sobre as campanhas de conscientização no trânsito, em parceria com o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, Movimento Maio Amarelo e a campanha A Culpa é Sua, premiada como a melhor do Brasil”, explicou Akira.

RODOVIAS

Os dados que colocaram Piracicaba em evidência também foram a redução no total (incluindo rodovias) de óbitos de 61 (2017) para 49 (2018), com percentual 19,50% menor; óbitos em automóveis nas vias municipais, de 6 para 3 (50%), e redução de 39 mortes em 2017 para 22 em 2018 nas vias municipais administradas pela Semuttran (43,59%). Houve aumento somente no número de mortes de motociclistas: em 2017 foram 15 mortes contra 16 em 2018, aumento de 6,67% nas vias municipais.

Beto Silva