Mortes no trânsito seguem em queda em Piracicaba

O número de mortes por acidente de trânsito diminuiu em Piracicaba. Levantamento divulgado pelo Infosiga-SP (Movimento Paulista de Segurança no Trânsito) mostra que o primeiro bimestre de 2018 foi menos violento que igual período de 2017, saindo de nove para sete óbitos, uma redução de 22%. Na comparação entre os meses de fevereiro, a queda seguiu o mesmo indicador, saindo de seis mortes ano passado, para cinco este ano.
 
Segundo o Infosiga-SP, em janeiro deste ano foram duas mortes em acidentes de carro, já em fevereiro foram cinco mortes, sendo duas por colisão envolvendo motos na rodovia Margarida da Graça Martins (SP 135) e rodovia Hermínio Petrin (SP 308)-; dois atropelamentos, um na rodovia Geraldo de Barros (SP 304), próximo ao bairro Gran Park, e na avenida Corcovado; e um choque a bicicleta, também na avenida Corcovado.
 
Na segunda-feira, a segurança no trânsito – dentro e fora da cidade – foi discutida pela Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes), com apoio da Guarda Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Estadual, Detran-SP, e com a participação de representantes do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito,que apontaram Piracicaba de volta “ao padrão de normalidade”.
 
De acordo com Jorge Akira, da Semuttran, sempre que ocorre um acidente com vítima fatal, o município analisa o caso a fim de verificar a necessidade de intervenções que evitem novos episódios. “Os dados apontam que 100% das mortes registradas em Piracicaba no ano passado ocorreram por razões alheias ao departamento de trânsito. Isso significa que em todos os casos houve a incidência de um ou mais fatores como imperícia do condutor, falha mecânica ou abuso de velocidade. Ou seja, nenhum deles foi causado por problemas de sinalização, visibilidade ou pavimentação”, afirmou. 
 
Paula Quiroga, consultora do InfosigaSP, Piracicaba deve atuar para manter o número de acidentes dentro do patamar atual. “Sabemos que o ideal seria zerar o número de mortes, mas isso é algo irreal. Então, é preciso trabalhar dentro do contexto do município para diminuir os acidentes e, consequentemente, reduzir o número de mortes, como foi verificado desde a virada do ano”.
 
Dados do Infosiga apontam que, ao longo de 2017, foram registrados 61 óbitos decorrentes de acidentes de trânsito no município, número 45,2% superior ao verificado em 2016, quando houve 42 mortes.