Grupo de Intervenção Rápida conteve os presos (Amanda Vieira/JP)

Presos do CDP (Centro de Detenção Penitenciária) Nelson Furlan queimaram colchões e tentaram fazer agentes de segurança penitenciária como reféns, mas não conseguiram, de acordo com informações da SAP (Secretaria da Administração Penitenciária). O tumulto ocorreu na tarde de ontem e foi resolvido após a intervenção do GIR (Grupo de Intervenção Rápida da Pasta.

Por volta das 15h30, alguns presos solicitaram apoio dos agentes, pois alegaram que um detento caiu da beliche e necessitava de atendimento médico.

Segundo a SAP, ao iniciarem os procedimentos de retirada do preso do pavilhão, contudo, os agentes foram ameaçados pelos detentos, que tentaram fazê-los reféns. Como os funcionários conseguiram impedi-los, trancando o pavilhão, os detentos deram início a um tumulto, queimando colchões. Não houve reféns.

Bombeiros controlaram o fogo (Amanda Vieira/JP)

O Corpo de Bombeiros foi acionado para conter o fogo. Somente os presos de um dos pavilhões da unidade aderiram ao tumulto, os presos dos demais pavilhões permaneceram nas respectivas celas.

Várias equipes da Polícia Militar fizeram o isolamento das áreas próximas ao Centro de Detenção, que está localizado às margens da rodovia Laércio Corte (SP-147). O trânsito na rodovia não ficou comprometido.

O GIR foi acionado e fez a contenção, acabando com o tumulto. A situação foi controlada por volta das 17h.

A SAP enfatizou que os detentos do pavilhão onde aconteceu a ocorrência estão no momento recolhidos e ocorreu a revista na unidade. A visita deste fim de semana está suspensa, para a devida apuração.

A secretaria não informou quantos detentos teriam participado do tumulto dentro do presídio. Caso os presos que tiverem participado do motim sejam identificado, a direção poderá instaurar procedimento administrativo para apurar a “falta” cometido pelo preso e poderá sofrer sanções disciplinares.

POPULAÇÃO

De acordo com a última atualização da SAP realizada no dia 4 de dezembro deste ano, a população carcerária da unidade prisional é de 1.916 ressocializandos, para a capacidade e 847 pessoas.

Veja  o vídeo da movimentação em frente ao presídio em:

http://www.jornaldepiracicaba.com.br/presos-colocam-fogo-em-colchoes-no-cdp-de-piracicaba/

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 × cinco =