MP denuncia homem que matou mestre de capoeira após discussão política

MP denuncia homem que matou mestre de capoeira após discussão política
Fonte: Agência Brasil

O Ministério Público da Bahia denunciou o barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana pelo assassinato do mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, conhecido como Moa do Katendê, no dia 8 de outubro. 

O promotor de Justiça Davi Gallo disse que Paulo Sérgio cometeu “crime de homicídio por motivo fútil e sem possibilitar qualquer defesa à vítima, que já tinha mais de 60 anos”. O barbeiro foi denunciado ainda por tentativa de homicídio de Germino do Amor Divino Pereira, que também estava com o capoeirista no bar, onde o crime ocorreu.

De acordo com a denúncia, Paulo Sérgio atingiu Romualdo da Costa com 13 facadas depois de uma discussão sobre a disputa eleitoral para Presidência. Segundo reportagens da imprensa local, Moa do Katendê discordou da posição política de Paulo Sérgio, que se declarou eleitor de Jair Bolsonaro (PSL), e foi agredido depois de ter dito que votou no PT no primeiro turno das eleições. 

No inquérito do MP, o promotor relata que o barbeiro e Moa do Katendê discutiram em voz alta e “agrediram-se mutuamente de forma verbal”. Em seguida, Paulo Sérgio saiu do bar e foi até sua casa, onde pegou uma faca e retornou ao bar para agredir Moa do Katendê. Durante o ataque, Germino Pereira foi atingido por uma “profunda facada” no braço direito, quando tentou defender a vítima.

A Anistia Internacional divulgou, hoje (18), um comunicado alertando para os casos de violência no contexto eleitoral e pedindo que sejam investigados sob a possibilidade de serem crimes de ódio, e cita o caso de Moa do Katendê.

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) também em nota repudiou a violência nas eleições deste ano. O órgão autônomo manifestou “extrema preocupação diante do clima nacional” e cobrou providências das instituições do sistema de Justiça do país.

MP denuncia homem que matou mestre de capoeira após discussão política