MP vai investigar Semae sobre obra da estação de esgoto do Vem Viver

O Ministério Público de Piracicaba instaurou inquérito para investigar as denúncias de servidores do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) feitas durante depoimento à Comissão de Estudos que apura irregularidades na autarquia. O pedido de investigação foi feito pelo vereador Laércio Trevisan Jr. (PR), que é presidente da comissão.

No documento protocolado na Promotoria do Patrimônio Público no início de maio, o republicano solicita providências do órgão quanto às informações relacionadas à EEE (Estação Elevatória de Esgoto) do bairro Vem Viver e também a notícia de que a obra será demolida.

No pedido de investigação, Trevisan cita que a estação elevatória não pode ser destruída porque está sob investigação da Comissão de Estudos e, agora, pelo Ministério Público.

Segundo depoimentos apresentados pelo parlamentar ao Ministério Público, servidores que eram fiscais das estações – junto a equipe de eletromecânica – constataram que havia mais de 30 itens na obra da estação fora de conformidade.

Uma funcionária e o servidor José Carlos Magazine, que atuavam como fiscais, disseram ao engenheiro do departamento de obras do Semae, responsável por receber a obra, que não deveria receber a estação do jeito que estava.  O engenheiro disse aos servidores que eles não deveriam se preocupar, pois no local existe um coletor tronco e a empresa Águas do Mirante – responsável pela coleta de esgoto na cidade – iria interligar à rede existente naquele ponto.

O engenheiro da autarquia, segundo depoimentos dos servidores, disse que obrigou o loteador a fazer uma estação elevatória e que deveria receber de acordo com as exigências do Semae e que se não agisse corretamente estaria sendo negligente.

Os servidores contaram ainda, segundo apuração, que um representante da construtora estava presente e questionou o engenheiro sobre a presença dos servidores/fiscais.  Em seguida, a pessoa que representava o loteador teria afirmado que “já tinha dado dinheiro ao engenheiro para que recebesse a obra do jeito que se encontrava naquele momento”.

Os servidores relataram que, tanto eles como o servidor da área de eletromecânica do Semae se negaram a assinar qualquer documento e encaminhariam o caso à Presidência do Semae. No outro dia, conforme os relatos, o presidente do Semae, José Rubens Françoso, foi até a estação, chamou os servidores e informou que eles não pisariam mais naquele local.

Por meio da assessoria de imprensa, o Semae informou que recebeu a notificação do Ministério Público, e já encaminhou o documento para análise de acordo com o prazo estabelecido. “O Semae começa nesta terça-feira a analisar os questionamentos feitos pelo MP para apresentar todas as respostas.  O Semae também colocará a resposta do MP à disposição da mídia, para que possa divulgá-las em momento oportuno”, informou em nota.