MPT marca para dia 5 nova tentativa de conciliação entre Unimep e docentes

universidade Ainda segue impasse envolvendo as duas parte. (Foto: Arquivo/JP)

A falta de acordo entre o IEP (Instituto Educacional Piracicabano) – mantenedor da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba -, Sinpro (Sindicato dos Professores de Campinas e Região) e Adunimep (Associação dos Docentes da Unimep) fez com que o MPT (Ministério Público do Trabalho) marcasse nova audiência de conciliação entre as partes para a próxima quarta-feira (5), às 15h30, na sede do MPT, em Campinas.

De acordo com o despacho da juíza do trabalho, Bruna Muller Stravinski, mesmo com a contraproposta feita pela Unimep, na semana passada, sobre a reintegração dos professores demitidos em julho, estar dentro do prazo, o sindicato, inicialmente, não acatou a proposta. “A manifestação acima importará em prejuízo do prazo já concedido à Universidade para quitação não dos salários dos professores, que se encerra dia 31/08, nos exatos termos da audiência anterior”, e segue: “Em caso de não acerto dos salários, já ficam autorizados os usos de todos os meios de coerção para cumprimento da obrigação, conforme o artigo 139 do CPC (Código de Processo Civil), que assegura o poder geral de efetivação do magistrado. Desde já, designo audiência de conciliação para 5/09, às 15h30”, informa despacho.

Na semana passada, o IEP sugeriu a recontratação dos 49 professores demitidos em julho da Unimep. A decisão da mantenedora aconteceu dentro do prazo sugerido pelo MPT e foi juntada a ação civil que corre entre as partes desde o ano passado. Na época, a diretora do Sinpro Campinas, Conceição Fornasari, confirmou a realização de assembleia com os docentes e Adunimep. “Nela, os professores tomaram conhecimento da proposta que a mantenedora enviou para a Justiça do Trabalho. O IEP propõe a recontratação e não readmissão dos professores dispensados. Apesar disso, acredito que o resultado é uma vitória importante, só que ficou acondicionada a volta dos docentes aqueles que quiserem permanecer na Unimep a migração para a carreira nova e os que não quiserem permanecer, entrarem no Plano de Demissão Voluntária de docentes (PDVD)”, disse ela aguardando o agendamento da audiência de conciliação.

(Felipe Poleti)