Mudança no regulamento fará Paulistão dar vez aos novos talentos

Uma mudança no regulamento deste ano do Campeonato Paulista, que começa quarta-feira, pode proporcionar a revelação de novos talentos no Estadual e ajudar os clubes tanto do ponto de vista técnico como do financeiro. Atendendo pedidos dos clubes, a Federação Paulista de Futebol (FPF) autorizou que atletas oriundos da base possam disputar o torneio sem ocupar vagas dentre os 26 inscritos.

Serão duas listas de inscrições. Uma terá até 26 atletas, que podem ou não ser da base. Uma outra, que será chamada de Pratas da Casa, contará apenas com garotos de até 21 anos, que estão nas categorias inferiores do clube há pelo menos um ano e que tenham disputado um torneio por essa agremiação. Essa lista é ilimitada e poderá dar a muitos jovens a oportunidade de mostrar qualidade e, quem sabe, conquistar mais espaço entre os profissionais.

“A mudança facilita a integração dos meninos com o time principal e estimula os clubes a investirem na formação de atletas”, explica Gustavo Vieira, diretor executivo do Santos, um dos times que mais utilizam garotos em seu elenco.

Para o vice-presidente do Departamento de Integração com Atletas da FPF, o ex-jogador Mauro Silva, a mudança deve fazer com que alguns dirigentes também passem a pensar diferente. “Creio que vão começar a ver a base como um investimento e não como uma despesa”, disse, lembrando que os times poderão apostar em um garoto em vez de contratar um jogador para ser reserva, por exemplo.

BENEFÍCIOS – Equipes que têm feito um bom trabalho nas divisões inferiores são as que mais devem se beneficiar com a mudança. O Palmeiras, por exemplo, apesar do elenco recheado, tende a dar oportunidade aos jovens que estão se destacando, como Artur e Léo Passos.

“Isso dá a oportunidade de que, em muitos momentos, a gente possa dar uma experiência de competição para os garotos. Faz com que todos ganhem”, disse o gerente de futebol do Palmeiras, Cícero Souza.

Dorival Júnior espera aproveitar a boa safra de talentos oriundos de Cotia para lançar alguns garotos no São Paulo, como Paulo Boia e Rony. “Teremos mais opção para mexer no time e alguns jovens aguardam pelo momento de poder mostrar serviço. Quem ganha com tudo isso é o futebol, que conta com mais jovens surgindo”, opinou o treinador são-paulino.

Os clubes do interior também gostaram da mudança. A Ponte Preta, atual campeã paulista sub-17 e vice sub-20 deve aproveitar bastante a alteração no regulamento. “Já subimos diversos jogadores e vamos aproveitar também a Copa São Paulo. Nossa ideia é utilizar sim, ao máximo, os jovens e mostrar nossa força”, disse o presidente José Armando Abdalla Júnior.

O Mirassol, que se mantém financeiramente muito graças à venda de jogadores, acredita que terá mais oportunidade de mostrar seus talentos. “A alteração é salutar, pois estimula a formação de atletas. Os garotos também se animam, pois sabem que há mais chances de jogarem agora. Nós, como clube fundador, aprovamos e lutamos muito por essa mudança”, comemorou o presidente, Edson Antônio Ermenegildo.