Mulher é detida no CDP de Piracicaba com celular

Celular tem 6 centímetros (Divulgação/SAP)

Uma mulher de 43 anos é acusada de tentar entrar no CDP (Centro de Detenção Provisória) Nelson Furlan com um celular escondido próximo as partes íntimas, no domingo (29). Os agentes de segurança penitenciária perceberam as irregularidades por meio da imagem produzida pelo scanner corporal. Segundo a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), Ao ser questionada, ela confessou que pretendia entregar a droga ao companheiro que cumpre pena na unidade.

Posteriormente, ela foi conduzida para uma sala reservada, onde teria retirado o aparelho de suas partes íntimas. A mulher foi encaminhada ao plantão policial juntamente com o material apreendido. A acusada prestou depoimento e foi liberada. O preso que seria visitado foi isolado, preventivamente para procedimento disciplinar. A SAP informa que as pessoas as quais são flagradas tentando entrar nas unidades prisionais com materiais proibidos são suspensos, temporariamente do rol de visitas.

O aparelho encontrado com a mulher tem apenas seis centímetros de tamanho. Apenas faz ligações e recebe SMS. São fabricados na China, mas não têm homologação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Os microcelulares são encontrados facilmente pelos sites da venda da internet pelo preço médio de R$ 230.

 

Cristiani Azanha

[email protected]