,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Curso recebe inscrições até hoje
  • Câmara investiga atuação de terceirizados
  • Homem é preso na Rua do Porto

Dilma aposta em troca de ofertas com União Europeia até o fim de novembro
Leandro Colon
23/10/2015 20h18
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (19) esperar que a troca de ofertas comerciais entre Mercosul e União Europeia ocorra até o final de novembro. A troca de propostas é o passo necessário e decisivo para um acordo de livre comércio entre os dois blocos. "Nós esperamos apresentar as ofertas comerciais do Mercosul com a UE na data acordada com a comissária para questões comerciais da UE, isto é, até o final de novembro, última semana de novembro", afirmou Dilma. A declaração sobre os blocos econômicos foi dada durante entrevista coletiva após o comunicado conjunto feito por ela ao lado do primeiro-ministro da Suécia, Stefan Lofven, em Estocolmo (Suécia), onde ela se encontra desde sábado (17) para encontro com autoridades e empresários locais. "Somos muito otimistas em relação a esse acordo. Do ponto de visto do Mercosul, está pronto para ser assinado, e acreditamos que, do ponto de vista da UE, os sinais também são bem positivos", disse a presidente. A presidente também afirmou, sobre a possibilidade de impeachment, que não acredita em ruptura institucional. A negociação de livre comércio entre Mercosul e UE se arrasta há mais de 15 anos. Em junho, durante visita à Bélgica, Dilma havia declarado que o Brasil estava pronto para acelerar a troca de ofertas em julho. Mas as conversas não avançaram neste sentido e estipulou-se o fim deste ano como limite para tanto. A oferta de cada bloco significa, em tese, o que cada um tem a oferecer em termos de tarifa zerada numa relação comercial entre eles. É a principal etapa para que um acordo seja selado. Em setembro, o ministro Armando Monteiro (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) declarou à Folha de S.Paulo que esperava que essa troca ocorresse já em outubro. Ao lado de Dilma, o primeiro-ministro sueco evitou entrar em detalhes sobre o tema e apenas destacou que torce para que o acordo seja estabelecido o quanto antes. "A Suécia há muito tempo trabalha com sistema de comércios abertos", declarou.

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  •         Responder
    Valéria Silva Medeiros - 25/05/2016 12h58
    Boa tarde sou uma Brasileira e tenho vergonha de ver um Pais tão rico,nessa situação o nosso voto é uma porcaria não serve pra nada, fico indignada com nossos governos. Fico preocupada, o que sera de nós brasileiro, a escravidão voltou só falta oficializa, cade as algemas.