,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Caged aponta geração de 60 postos de trabalho em maio
  • Poupatempo amplia serviços com hora marcada
  • Caixa promove feirão de imóveis com 4.000 unidades disponíveis

Coreia do Sul, Japão e EUA condenam novo teste de míssil da Coreia do Norte
Agencia Estado
14/05/2017 11h01
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Seul, 14/05/2017 - A Coreia do Sul, o Japão e os Estados Unidos condenaram o novo teste de mísseis realizado pela Coreia do Norte neste domingo. Pyongyang lançou o míssil balístico que voou por meia hora e atingiu uma altitude inusualmente alta, antes de pousar no Mar do Japão, segundo militares sul-coreanos, japoneses e americanos. O lançamento, que segundo Tóquio pode ter sido de um novo tipo de míssil, é um desafio direto ao novo presidente da Coreia do Sul e ocorre no momento em que embarcações dos EUA, do Japão e de países europeus se reúnem para exercícios militares no Oceano Pacífico. Não estava ainda claro que modelo de míssil balístico foi lançado, no sétimo teste do tipo da Coreia do Norte neste ano, embora o Comando Pacífico dos EUA tenha dito que "a trajetória não é consistente com um míssil balístico intercontinental". Já autoridades japonesas disseram que o projétil voou durante cerca de 30 minutos, por cerca de 800 quilômetros, e atingiu uma altitude de 2 mil quilômetros. O padrão de voo poderia indicar um novo tipo de míssil. Codiretor do Programa Segurança Global da Union of Concerned Scientists, David Wright disse que o míssil poderia ter alcance de 4.500 quilômetros. Segundo o pesquisador, o teste pode ter sido de um novo modelo, mostrado pela Coreia do Norte em um grande desfile militar de 15 de abril. O novo ataque ameaça a disposição para o diálogo do novo líder da Coreia do Sul, Moon Jae-in. O governo sul-coreano lamentou a "provocação" dias após a posse do novo governo de Seul, mas disse que a porta segue aberta para o diálogo. O premiê do Japão, Shinzo Abe, afirmou que o lançamento era "absolutamente inaceitável" e que Tóquio responderá de maneira resoluta. A Casa Branca disse que tomou nota do lançamento e que a Coreia do Norte tem sido "uma ameaça flagrante há muito tempo". Washington ainda reafirmou seu compromisso com os aliados na região, diante da "provocação" de Pyongyang. Os EUA disseram que a atitude deve ser um chamado para que todos os países implementem sanções mais duras contra a Coreia do Norte. A ministra da Defesa japonês, Tomomi Inada, informou que a Coreia do Norte pode ter lançado um "novo tipo de míssil", diante da altitude e da duração de seu voo. Mas ela afirmou que mais análises são necessárias. Os militares sul-coreanos, por sua vez, confirmaram que o disparo foi feito na manhã do domingo (hora local), perto de Kusong, na província de Pyongan Norte. No sábado, a imprensa estatal norte-coreana havia afirmado que o país reforçará suas capacidades nucleares, a menos que os EUA abandonem sua política hostil. Fonte: Associated Press.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar