,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Construção abandonada gera transtornos e moradores reclamam
  • Vendas no comércio crescem 3,6% no Dia dos Namorados
  • Rapaz é detido por populares após roubar celular de jovem

Reino Unido decide expulsar 23 diplomatas russos após envenenamento de espião
Agencia Estado
14/03/2018 11h00
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou hoje que irá expulsar 23 diplomatas russos depois que Moscou perdeu um prazo para explicar como um ex-informante russo do serviço de inteligência britânico foi envenenado no sul do país com uma substância neurotóxica da era soviética. "Não há conclusão alternativa, a não ser de que o Estado russo é culpado pela tentativa de homicídio de Skripal e de sua filha, e por ameaçar as vidas de outros cidadãos britânicos em Salisbury," disse May. "Isso representa uso ilegal da força pelo Estado russo contra o Reino Unido." Recentemente, o espião Sergei Skripal, de 66 anos, e sua filha Yulia, de 33 anos, foram envenenados em local próximo a sua residência na cidade de Salisbury, no sul da Inglaterra. Além da expulsão, a maior do tipo em mais de três décadas, May anunciou uma série de outras medidas contra Moscou, incluindo a suspensão de todos os contatos bilaterais de alto nível entre Reino Unido e Rússia, e afirmou que o Kremlin demonstrou "total desdém" pela gravidade dos eventos. A premiê disse ainda que ministros britânicos e a família real não irão à Copa do Mundo na Rússia, que terá início em junho. Mais cedo, a embaixada russa em Londres havia dito que Moscou iria responder a qualquer ameaça do Reino Unido de tomar ações punitivas. "O lado britânico precisa ficar ciente disso", afirmou a embaixada em sua conta no Twitter. Moscou nega qualquer envolvimento no caso e diz que não responderá às exigências de May até que receba amostras da substância usada no ataque. O Reino Unido também convocou hoje uma reunião urgente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para atualizar seus integrantes acerca das investigações sobre o ataque. Embaixadores da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), por sua vez, devem se reunir ainda nesta quarta-feira em Bruxelas para discutir o caso. Fonte: Dow Jones Newswires.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar