Museu do Ipiranga passará por restauros até 2022 e busca parceiros

Museu está fechado para visitação desde 2013 Museu está fechado para visitação desde 2013

O Museu do Ipiranga, como é conhecido o Museu Paulista da Universidade de São Paulo (USP), se prepara para iniciar, em setembro de 2019, as obras de restauração e modernização. O projeto, estimado em cerca de R$ 160 milhões, busca agora recursos da ordem de R$ 120 milhões junto à sociedade civil e à iniciativa privada, por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). Em janeiro, a EDP Brasil, braço da Energias de Portugal, gigante do setor elétrico, anunciou uma contribuição de R$ 12 milhões para as obras. O museu informou que o montante será repassado através de renúncia fiscal, possibilitada pela Lei Rouanet, em até quatro exercícios, de dezembro de 2019 a dezembro de 2022.

A obra tem duração prevista de 30 meses e a reinauguração está programada para 2022. “Estamos em um momento histórico, que é a aproximação do marco do bicentenário da Independência. Como maior investidor português no País, não poderíamos deixar de estar presentes. O museu é um patrimônio que conecta a memória de Portugal e do País, e está no coração do povo brasileiro”, disse Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

COMO CONTRIBUIR

As empresas interessadas podem destinar até 4% do Imposto de Renda devido para apoiar a restauração, via Lei Rouanet. Como contrapartida, o museu oferece visitação para públicos de interesse, visibilidade de marca, comunicação nos veículos do museu, marketing e mídia, licenciamentos de produtos, ações de endomarketing, mobilização comunitária, ativação, formação e conhecimento para públicos de interesse.

Além das doações via Lei de Incentivo à Cultura, o museu também aceita outras formas de adesão, por meio de serviços ou doações não filantrópicas. Em uma segunda fase, a captação pretende mirar a população através de uma campanha pública, oferecendo aos cidadãos a possibilidade de contribuir com pequenas cotas.

HISTÓRICO

O Museu Paulista, conhecido como Museu do Ipiranga, foi inaugurado em 7 de setembro de 1895 como museu de História Natural e marco representativo da Independência, da História do Brasil e Paulista. Em 1963, o museu foi integrado à USP e se tornou uma instituição científica, cultural e educacional com atuação no campo da História.

Em 2013, o edifício-monumento foi fechado à visitação por problemas de infiltração de água nos forros e teve início o desenvolvimento de um grande projeto de reforma. As coleções do acervo e os laboratórios foram transferidos para imóveis alugados e especialmente adaptados para esse fim.

Paralelamente, a USP investiu no planejamento estratégico para a captação de recursos para a obra de restauração, estimada em R$ 120 milhões. Além da adequação às normativas atuais de infraestrutura, acessibilidade, segurança e sustentabilidade, o edifício será ampliado em 4 mil metros quadrados.