Nas férias, Esalq faz campanha contra febre maculosa

Projeto tem como objetivo conscientizar a população. (foto: Amanda Vieira/JP)

A campanha de férias de conscientização da população sobre a febre maculosa, em seu quarto ano consecutivo, chega ao final neste final de semana, dias 27 e 28 de julho. A ação realizada pela Comissão Técnica Permanente de Prevenção e Controle da Febre Maculosa do Campus “Luiz de Queiroz” e presidida pelo professor Gilberto José de Moraes, do Departamento de Entomologia e Acarologia (LEA) da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq/USP), consiste em alertar para os riscos da presença do carrapato estrela em áreas afastadas e também de grande circulação.

Nesta edição, mais de 1.100 pessoas já visitaram o estande montando ao lado do Edifício Central, nos três primeiros finais de semanas do mês de julho. Entre elas encontram-se os piracicabanos que visitam o Campus para atividades de lazer e, também, pessoas de outros 38 municípios paulistas, de outros 12 estados brasileiros (Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) e, até mesmo, de três países (Canadá, Itália, Rússia).

O engenheiro agrônomo Carlos Alberto Perez, que atua desde 2006 no projeto que procura minimizar a infestação do carrapato na instituição, conta com colaboração de estagiários e alunos do LEA. De acordo com eles, a mensagem levada ao público pode salvar vidas, ao explicar sobre a forma como ocorre a doença, a importância do carrapato estrela na transmissão da bactéria que a causa (Rickettsia rickettsii) e os cuidados a serem tomados para evitar ou debelar a doença.

No diálogo com os visitantes, os voluntários aproveitam a presença de crianças para servirem como motivadoras de conscientização de toda família. Ali no estande são mostradas, em dois microscópios disponíveis, todas as fases do carrapato estrela como a fase de ovo, micuins, ninfas e adultos do carrapato. Uma atração que desperta muita atenção é o fato de mostrar uma capivara empalhada que, em vida, é a principal hospedeira do carrapato estrela. A peça empalhada pertence ao Museu de Zoologia Prof. Salvador de Toledo Piza Junior, da Esalq.

Os voluntários reforçam, ainda, que a principal mensagem da campanha é: “sentiu dor de cabeça ou febre alta um a dois dias após ser picado por um carrapato na região de Piracicaba, vá ao médico e fale sobre o carrapato. Isso, certamente, irá alertá-lo sobre a possibilidade de que se trate da febre maculosa, atribuindo então o tratamento específico necessário para curar esta grave doença”.

No dia 27 de junho, o estande estará montado ao lado do Edifício Central e, no dia 28 de junho, como parte integrante do evento “Insetos na Esalq”, o estande será armado em frente ao Departamento de Entomologia e Acarologia da Esalq.

Apoio: Prefeitura do Campus USP “Luiz de Queiroz”.

Da Redação