Nesse final de semana tem clássico entre Argentina e Colômbia

Messi terá mais uma oportunidade de ser campeão com a Argentina. (Foto: Getty Images)

Após a estreia da Seleção Brasileira na Copa América, contra a Bolívia, na noite de ontem (até o fechamento desta edição o jogo ainda não havia terminado), a competição segue hoje com a partida entre Venezuela e Peru (que estão no grupo do Brasil), às 16h, em Porto Alegre. Na sequência, Argentina e Colômbia se enfrentam às 19h, em Salvador. No domingo, Paraguai e Catar jogam às 16h, no Rio de Janeiro, e Uruguai e Equador fecham o dia, às 19h, em Belo Horizonte. A primeira rodada termina na segunda-feira (17), às 20h, com o jogo entre Japão e Chile, em São Paulo.

O jogo entre Venezuela e Peru, no complemento da primeira rodada da chave do Brasil, promete ser equilibrado, já que os peruanos participaram da última Copa do Mundo e chegaram aos três últimos mata-mata da copa América. A Venezuela, também avançou na última edição, e vem se restruturando nos últimos anos, com um time competitivo que mescla experiência e juventude. Nos últimos amistosos, vitórias sobre a Argentina (3 a 1) e Estados Unidos (3 a 0). Paolo Guerrero, do Internacional e Christian Cueva, do Santos, são os destaques da equipe andina, enquanto que Josef Martínez e Salõmon Rondón são as estrelas venezuelanas.

O confronto entre Argentina e Colômbia é o mais aguardado do final de semana, já que colocará frente a frente as duas melhores equipes do grupo B e favoritas ao título sul-americano. A Argentina passa por uma reestruturação, porém Lionel Messi segue como a principal esperança argentina, que também tem suas esperanças depositadas em Sergio Aguero, Ángel Di María e Paulo Dybala. No lado colombiano, James Rodríguez é o principal jogador, com o suporte de Falcão García e Juan Cuadrado. “Estamos trabalhando forte para nos fortalecermos como equipe.

Seguiremos lutando e jogando para que os 11 que começem o jogo, mais os três que entrarem, busquem a vitória”, disse Falcão. No outro jogo da chave, o Paraguai, tem bons jogadores na defesa, como Gustavo Gómez, do Palmeiras e Fábian Balbuena, ex-Corinthians, e no ataque, como Derlis González, do Santos e o veterano Óscar Cardozo. O Catar aposta no conjunto e no talento de Almoez Ali, artilheiro da Copa da Ásia com nove gols.

A abertura do Grupo C será entre Uruguai, um dos favoritos da competição, contra o Equador. Os uruguaios têm um time titular bem homogêneo, com os experientes Diego Godín, Luis Suárez e Edinson Cavani, com os jovens José Giménez, Rodrigo Betancur e Lucas Torreira. O técnico Óscar Tabárez, no comando da Celeste desde 2006, irá para a sua sexta Copa América, sendo a quinta seguida. No lado equatoriano, que ficou de fora da última Copa, a esperança é o capitão Antonio Valencia, do Manchester United.

Atuais bicampeões, a Seleção Chilena ficou de fora do último Mundial e não chega tão empolgada quanto nos últimos anos, porém a equipe, que venceu o XV de Piracicaba em um jogo-treino, conta com o talento de Alexis Sánchez, Arturo Vidal e Charles Aránguiz. “Enfrentaremos uma equipe que tem conseguido coisas importantes nos últimos anos. Tentaremos jogar bem, mas sabemos que eles irão nos pressionar”, disse o defensor Óscar Opazo sobre a estreia do Japão, que não estará com sua equipe principal. O técnico Hajime Moriyasu decidiu chamar uma seleção com maioria dos jogadores com menos de 23 anos, com foco nas Olímpiadas de Tóquio de 2020. Takefusa Kubo, anunciado como novo reforço do Real Madrid, é o principal jogador desta equipe.

 

Mauro Adamoli
[email protected]