No Santa Rosa, líder busca transformações há 20 anos

Ela é falante. Briga, no bom sentido, pelos moradores do bairro Santa Rosa e adjacências. É insistente. Fala com os políticos de igual para igual. E tenta transformar a vida das pessoas através do respeito ao meio ambiente e dos projetos sociais, culturais e esportivos e de elevação da autoestima das mulheres. Esse é o perfil da líder social Iraci Vitor Honda, 63, aposentada e representante comercial que trabalha com moda. Como muitas mulheres, leva uma vida agitada e ainda encontra tempo para desenvolver ações comunitárias para ajudar o próximo. Nesse Dia Internacional da Mulher, a seção Seu Bairro conta um pouco da história desta líder social. Esse trabalho de formiguinha repercutiu nos bairros da região onde atua e até mesmo na cidade. 
 
Tudo começou há duas décadas. Ela se sentia incomodada com as pessoas que viviam reclamando e que não saiam do lugar. Com um lema em mente, “um bairro vale pelo que valem seus moradores”, resolveu arregaçar as mangas. Começou a atuação com a reorganização do Santa Rosa 1, em especial no uso e ocupação do solo, para preservação das áreas verdes. A região tem 48 manchas verdes e córregos que funcionam como pulmões das localidades. A intenção era — e ainda é — levar qualidade de vida e fazer as pessoas valorizarem os bairros
A luta foi para educar a população a não jogar lixo e outros resíduos nos espaços públicos, para não degradar o meio ambiente e também evitar atrair ratos, baratas e animais peçonhentos às residências. Hoje, essa região enfrenta um boom com a proliferação dos condomínios fechados. Essa bandeira contribuiu para que fosse escolhida presidente do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente. 
 
A guerreira Iraci continua a bater na porta da prefeitura e da Câmara para brigar pela manutenção do bairro, como realização de operação tapa-buraco e limpeza a cada dois meses das áreas verdes. São aproximadamente 48 áreas verdes nos bairros Santa Rosa, Santa Rosa Ipês e Santa Rosa Palmeiras. Recentemente saiu a licitação para iluminar seis áreas verdes. 
 
 
DEMANDAS — A partir das conversas com os moradores, começou a anotar as demandas. Nesse período, conquistou dois PSFs (Programas de Saúde da Família) e a manutenção regular das áreas verdes, uma necessidade porque os bairros ficam em área com fragilidade ambiental, por causa das duas bacias hidrográficas localizadas na região. Os moradores também conquistaram a coleta seletiva de lixo aos sábados de manhã e, depois de muita luta, a Escola Municipal Camila Pipa.
 
 
 
AUTOESTIMA — Há nove anos Iraci também assumiu o projeto Viver Saúde, desenvolvido por dois anos pela Creche Lígia Amaral Gobin, e que conta com aulas de dança circular, palestras com nutricionista e médicos e ginástica. Antes restrito às mães das crianças matriculadas na creche, o projeto foi aberto para a comunidade. “O objetivo foi de levantar a autoestima, cuidar do espírito, da alma, do corpo e para as mulheres ficarem bem”, relatou Iraci. Hoje, 25 mulheres têm aulas de ginástica localizada, dança e aeróbica e pilates em espaço cedido na escola municipal. Antes de participarem das atividades ministradas por uma educadora física credenciada e especializada, as mulheres preenchem fichas e apresentam atestado médico. 
 
 
Mas os projetos não param por ai. Está em elaboração um projeto para oferecer balé para crianças. Além disso, Iraci busca a cessão de um prédio fechado à prefeitura para montar um centro cultural e social para centralizar as atividades e expandir os projetos. “A mulher é que move o mundo. Tem todas as ferramentas para isso”, disse a sonhadora Iraci.