Novo batalhão da PM-RJ foca em policiamento ostensivo em vias urbanas

Novo batalhão da PM-RJ foca em policiamento ostensivo em vias urbanas
Fonte: Agência Brasil

O Comando da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro lançou hoje (12), no Batalhão de Policiamento de Choque (BPChq), a nova unidade da corporação, o batalhão Rondas Especiais e Controle das Multidões (Recom). O objetivo do Recom é aumentar o policiamento ostensivo em vias urbanas. O primeiro patrulhamento da unidade foi feito hoje pela manhã, na Tijuca, zona norte da cidade. O foco inicial será atuar na região metropolitana onde há registros de maior criminalidade.

Segundo afirmou o secretário de Estado de Segurança do Rio de Janeiro, general Richard Nunes, a intervenção federal no estado tem colaborado para avançar nos objetivos da corporação e da sociedade e tem fortalecido as instituições. “Não viemos aqui fazer mais do mesmo; fazer ocupações desnecessárias; ficar muitas vezes com ações de incômodo à própria corporação, que já se sacrifica tanto por nós. Nós viemos aqui para juntos, ombro a ombro, trabalhar mais e melhor para que mais altos objetivos fossem alcançados”.

Dinamismo

Nunes destacou que a meta é operar com mais dinamismo: “Polícia é quem circula; quem tem liberdade de ação para andar por onde quer é a polícia. Bandido se esconde. Polícia faz o que quer. A Polícia Militar tem que ser dinâmica, ela tem que se mover no terreno. Não tem que ficar muitas vezes imobilizada em determinados contêineres, em cabines. Isso não é policiamento”.

“Ter uma unidade como essa, com capacidade de intervir em determinadas áreas, é fundamental para que a gente aumente a sensação de segurança”, disse ao se referir ao final de ano, período e que a cidade recebe muitos turistas. O secretário acredita que o Recom será um divisor de águas de patrulhamento ostensivo do Rio de Janeiro.

Efetivo

O Recom ficará provisoriamente sediado no quartel do BPChq, enquanto a sede definitiva, que será o prédio onde funcionou o 13º BPM, na Praça Tiradentes, no centro do Rio, passe por reforma e adaptação. A unidade contará com um efetivo de 400 homens e mulheres, distribuídos por seis equipes, compostas por duas viaturas e oito policiais, que trabalharão diariamente. “Tudo feito de forma objetiva, dinâmica e técnica”, informou a major Claúdia Moraes, porta-voz da PM. O planejamento será direcionado, acentuou.

O comandante do Recom, tenente-coronel Daniel Queiroz, disse que a ideia é aumentar a prevenção e coibir o cometimento de crimes nas áreas apontadas pelo setor de inteligência da corporação. A prioridade é o policiamento motorizado, rondas. “A gente vai rodar, patrulhar o tempo todo”. Serão feitas blitzes, abordagens a veículos, como ônibus, e a transeuntes. As equipes podem ser mobilizadas para outras áreas, de acordo com a demanda. Queiroz afirmou que, a princípio, a atuação do Recom será a região metropolitana do Rio, mas a ideia é estender a ação para todo o estado.

Criminalidade

O Recom atuará também em grandes eventos, como o carnaval, que concentram grandes multidões. Não foi ainda, porém, montada nenhuma estratégia a respeito.

Daniel Queiroz sustentou que o objetivo do Recom é reduzir a criminalidade no estado. “Esse é o nosso maior desafio”. Alertou, contudo, que a tropa está preparada para encarar qualquer desafio. “O bandido não pode se sentir à vontade na rua para cometer crimes”, salientou. “Ele tem que saber que a Polícia Militar está presente e que se ele tentar cometer um crime, será preso”, concluiu.

Novo batalhão da PM-RJ foca em policiamento ostensivo em vias urbanas