Novo diretor da PF vai priorizar combate ao crime organizado

PF Rodrigo Costa é delegado há 15 anos e está há três meses na cidade. ( Foto: Amanda Vieira/JP)

O novo diretor da Polícia Federal vai priorizar o combate aos grupos criminosos organizados ligados ao narcotráfico. Delegado há 15 anos, Rodrigo de Campos Costa, 40, tomou posse ontem durante solenidade, que aconteceu na Câmara Municipal. Ele substituiu o delegado Florisvaldo Emílio das Neves, que estava na função há sete anos. Neves permanece na cidade e atuará nas ações operacionais da instituição.

Costa já estava trabalhando na cidade há três meses. O novo diretor identificou que Piracicaba conta com uma incidência de contrabando, principalmente de cigarros. “Nosso foco será identificar os grupos criminosos e desmantelar as quadrilhas”, disse o delegado.

O superintendente regional da PF no Estado de São Paulo, Disney Rosseti, disse que combate ao crime organizado na região de Piracicaba tem o engajamento junto com as forças estaduais e municipais. “Aqui o Estado se impõe”, enfatizou Rosseti. Neves disse que quando chegou em Piracicaba, em 2003, tinha a pretensão de ficar cerca de dois anos e esteve na inauguração da Delegacia de Polícia Federal. Em 2010, assumiu a função de diretor. “Sempre contei com o apoio de uma equipe capacitada, além do apoio de órgãos públicos de Piracicaba e região, com destaque para os integrantes da segurança pública”, disse Neves.

Ele destacou os indicadores da delegacia que estão compatíveis com o esperado e dentro das possibilidades. Foram expedidos 40 mil passaportes no período de um ano, com o prazo médio de um a dois dias úteis para a retirada. Além de 12 toneladas de maconha apreendida e mais seis toneladas de cocaína.

NOVO DIRETOR — Além da experiência como delegado há 15 anos, Costa também foi escrivão da Polícia Civil por dois anos e um ano como agente de segurança penitenciária. Foi delegado Regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado na Superintendência Regional da PF em São Paulo e delegado Executivo da Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu. É doutor em Direito Processual Penal pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo, mestre em Direito Penal pela mesma universidade, especialista em Direito Penal e Processo Penal pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e concluiu seu curso de Direito pela Fundação Karnig Bazarian, em Itapetininga.

(Cristiani Azanha)