Número de motoristas flagrados no bafômetro cresceu 73% em 2018 em Piracicaba

bafômetro-fiscalização Programa Direção Segura realização fiscalizações com bafômetros (Crédito: Arquivo)

Dados do Direção Segura, coordenado pelo Detran SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo), mostram que 90 mil veículos foram fiscalizados em 2018 no Estado, 605% a mais que em 2013, primeiro ano de operações do programa. Os dados apontam para queda nas autuações de condutores embriagados, em 2018, desde que as operações tiveram início em 2013. Mas motoristas de Piracicaba estão na contramão das estatísticas. No ano passado, 488 motoristas de Piracicaba receberam multas, por direção sob influência de álcool ou recusa ao teste do bafômetro, contra 282 autuações efetuadas em 2017.

Na região, também houve crescimento – no comparativo de 2017 com 2018 – na aplicação de multas por direção sob influência de álcool ou recusa ao teste do bafômetro nas seguintes cidade: São Pedro, que subiu de 29 para 59 autuações; Rio das Pedras de 19 para 23; Charqueada de 5 para 23; Saltinho de 3 para 5 e Águas de São Pedro de 1 para 4. Já o município de Iracemápolis apresentou queda de 37 para 28.

No ano passado, os agentes do programa registraram no Estado de São Paulo, uma autuação a cada 19 veículos fiscalizados. O índice é 28% maior que o de 2017 (1 para 15 fiscalizações) e 84% maior que o de 2013 (1 para 10). O número de veículos fiscalizados em 2018 também foi recorde – 89.965 -, assim como o número de operações – 304 – em todo o Estado. Ao todo, foram 4.684 autuações no ano passado, com queda de 9% em relação ao ano anterior.

 

ESTADO

O Detran SP associa a redução estadual de flagrantes de motoristas dirigindo alcoolizados à ampliação da fiscalização, assim como às campanhas de educação para o trânsito e à oferta de aplicativos de transporte particular, serviço que até pouco tempo não existia. Essa diminuição nos números de condutores embriagados contribui também para a queda de mortes no trânsito paulista que, segundo dados do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, foi de 15,6% desde 2015, início do programa.

(Eliana Teixeira)