O que se tem de comum sobre os mais longevos?

A grande maioria das pessoas busca um envelhecimento saudável longe das rugas usando os mais variados recursos para isso. Para isso usamos medicamentos, vitaminas, botox, recursos dermatológicos e muitas outras coisas. No entanto, existem regiões do mundo, onde as pessoas vivem mais de 100 anos de idade, usando o mínimo destes recursos, mas que dão um banho de juventude, apesar da idade. Estas regiões são chamadas de “Zonas azuis”, segundo o pesquisador Dan Buettner que é o promulgador desta ideia. Podemos aprender muito com estas pessoas a como chegar nos 100 anos de forma independente. A seguir, o que ele fala:

– Parece uma heresia, mas eles não praticam atividade física como a conhecemos. Eles estabelecem sua vida de forma que são constantemente ativos diariamente. Sobem e descem escadas, sentam e levantam mais de 40x ao dia, caminham, não usam carros, quando fazer alguma coisa, eles mesmos fazem e muitas outras coisas que os fazem ativos.

– Eles tentam sempre fazer suas atividades de forma devagar e sem estresse, pois ao contrário, o corpo pode sofrer uma resposta inflamatória que pode levar a alzheimer, doenças cardíacas entre outras doenças.

– Não existe uma dieta da longevidade, mas eles comem muitos vegetais, tomam vinho 1x ao dia, evitam alimentos industrializados, consomem alimentos cultivados por eles próprios ou pelos amigos.

– Uma coisa bem diferente da nossa cultura é que colocam sempre a família em primeiro lugar, os mais velhos são sempre bem respeitados e quando o pai ou a mãe morrem eles ficam com o filho mais velho. Isso é regra!

– A religião faz parte da rotina de vida deles. Segundo Buettner, pessoas religiosas podem viver 7 anos a mais, independente de qual religião é.

– Nascer na tribo certa, ou seja, estar cercado de pessoas saudáveis fará com que você tenha muito mais propensão a ser saudável. É aquele velho ditado: “Me diga com quem andas, e eu te direi quem és!”

– Ter uma razão de viver. Muitas pessoas se aposentam e acham que a vida acabou. Nestas regiões não. Eles continuam trabalhando, ajudando as pessoas, fazendo dos seus hobbies sua segunda fonte de renda e de juventude.

Quer saber quais lugares são estes: Okinawa no Japão, Costa da Sardena na Itália, Comunidade adventista do 7º dia na Califórnia e Península de Nicoya na Costa Rica. O livro em questão é The Blue Zones: Lessons for Living Longer From the People Who’ve Lived the Longest. Eu li e recomendo! Aqui esta somente um resumo da leitura e o que devemos aprender com eles. Afinal, podemos viver mais e melhor! Basta nos “programarmos” para isso, segundo Buettner. Mas como já sabemos, sem sermos ativos e uma boa alimentação, não iremos muito longe! Vale a pena!

Até à próxima!