Obras em terminal deixa população sem água em Piracicaba

Reforma no Terminal da Paulicéia tem ampliado o problema de falta de água na região (Foto: Amanda Vieira/JP)

As obras de interligação da rede no novo Terminal da Paulicéia, realizadas nesta quarta-feira, deixaram vários bairros de Piracicaba sem água. Para os moradores que enfrentaram o problema desde a manhã de anteontem até a tarde de ontem, a desculpa é nova porém, o problema é antigo.

Eles contaram que a falta de abastecimento vem ocorrendo todos os dias e que nas últimas 48 horas o agravante é que a falta d’, água ultrapassou as 20 horas. O técnico em eletrônica Marcos Costa morador na Vila Rezende, disse que a interrupção ocorreu às 16h de quarta-feira. Ontem, às 14h50, enquanto relatava a situação à reportagem, ainda não havia sinais de água nas torneiras de sua casa na Vila Rezende.

O problema é que quando dá um vento, cai um raio ou uma gota de chuva, á falta água porque caiu a energia elétrica, essa rede é feita de barbantes”, questionou. “Pagamos as contas em dia e em troca temos um serviço de muita má qualidade”, acrescentou.

A cabeleireira Kátia Ferreira, moradora no Monte Feliz, contou que enfrenta o problema desde a manhã de quarta-feira. Ela disse que não sabe precisar a hora da interrupção, pois só percebeu que o reservatório da residência estava seco quando voltou ara casa às 20h de quarta-feira. “A vizinha me disse que desde a manhã de ontem (quarta-feira) falta água”, reclamou.

O problema (falta d’água) aqui acontece há mais de um ano, todos os dias ficamos sem volta à noite ou madrugada mas dessa vez não voltou”, afirmou acrescentando que ontem precisou comprar água para beber e recorrer à casa da mãe.

No Jardim São Paulo, a situação não era diferente. O soldador Sidney Pereira do Nascimento disse que as torneiras secaram às 8h de quarta-feira e até ontem, às 15h30, o serviço ainda não estava restabelecido. “Liguei no Semae e aguardei dez minutos na linha para não ser atendido”, reclamou. Ele também relatou que o problema é diário no bairro. “Hoje vim tomar banho na casa da minha irmã porque lá em casa ao tem água pra nada”, afirmou.

Na casa do técnico em química, Ronaldo Batista da Silva, no Jardim das Flores a pia da cozinha denuncia a falta d’ água enfrentada desde as 6h de anteontem. No imóvel, não há água nem para as atividades rotineiras como lavar louças e tomar banho. “Ligamos para o Semae e mandam ligar na central que não atende desde as 8h40 ontem “, reclamou.

A assessoria de imprensa do Semae informou que o desabastecimento ocorreu devido as obras no Terminal da Paulicéia e que o abastecimento foi retomado às 5h da manhã de ontem de forma gradativa.

Já na Vila Rezende, houve rompimento de uma adutora na avenida Augusto de Lello no final da tarde de anteontem, prejudicando o abastecimento na região, a manutenção foi finalizada às 13h e o abastecimento retomado em seguida.

Beto Silva